Pular para o conteúdo principal

Postagens

Dica de Filme

"Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas"
2003
Direção: Tim Burton


Bastante simbólico, um dos melhores filmes de Tim Burton é uma bela fábula sobre a importância das histórias e o sentido da vida e da morte
A vida e a morte já foram tratadas de diferentes formas pelo cinema, mas, sempre há espaço para visões criativas sobre esses assuntos a depender do talento de seus realizadores. Não importa se otimista ou pessimista, metafórico ou realista, se a obra em questão puder "mexer" com as estruturas do espectador, ela terá conseguido o seu intento em contar uma história fascinante, que, mesmo que não pareça inédita, tem o frescor, a leveza e a simpatia das boas narrativas. É o que acontece com Peixe Grande, por exemplo, que parece com muito do que já vimos no cinema, e mesmo assim, permanece sendo um trabalho bastante original.




E, como toda fábula que se preze, a de Peixe Grande começa com uma história fantástica e improvável, de um peixe de rio que nunca …
Postagens recentes
Dica de Filme

"Custódia"
2017
Direção: Xavier Legrand


Violentos conflitos familiares fazem de "Custódia" uma das experiências mais incômodas do ano no cinema

Conflitos familiares. A perda gradativa da inocência. O medo. O pavor. A desestrutura familiar. Assuntos, esses, bastante caros na sociedade atual, que ainda presencia momentos pavorosos envolvendo núcleos familiares desfeitos. Ficamos atônitos ao perceber que o onde deveria existir amor e compreensão, podem ser semeados o ciúme, o ódio, e todo o tipo de violência possível e imaginável. "Custódia", baita filme francês, e um dos melhores do ano, desde já, escancara esses aspectos de uma maneira, a princípio, contida, para depois, explodir na nossa frente um dos piores horrores que se pode ter.




O filme começa de maneira intensamente naturalista, com uma sequência que mostra uma audiência de custódia entre Miriam e Antoine, que, agora, estão separados, e estão resolvendo a questão da guarda dos filhos, em e…
Dica de Filme

"Ratatouille"
2007
Direção: Brad Bird


A Pixar leva as suas fábulas para a França para contar uma valorosa história sobre a busca pelos nossos objetivos
Já não é nenhuma novidade que Pixar se notabilizou como um dos principais estúdios norte-americanos de cinema, quase sempre oferecendo animações caprichadas com técnicas e enredos interessantíssimos de tão criativos. E, talvez somente pela Pixar mesmo veríamos uma história sobre gastronomia onde o protagonista é um rato, e algo assim dar muito certo. É o que acontece neste Ratatouille, um dos melhores trabalhos do estúdio, e não por acaso, comandado pelo diretor de outro clássico da Pixar, Os Incríveis.




Como era de se esperar, um dos destaques de uma animação dessas, a narrativa é um primor, não bastando mais do que alguns primeiros minutos para simpatizarmos com Remy, um tatinho que vive com o pai, o irmão, e mais uma infinidade de outros roedores na casa de uma senhora. E, desde cedo Remy mostra uma característica…
Dica de Filme

"8 MM" 
1999
Direção: Joel Schumacher


Após o fracasso de Batman & Robin, Schumacher se refugiu em um thriller envolvente, mas bastante pesado em sua temática
Joel Schumacher sempre foi um ótimo diretor. Filmes como Garotos Perdidos, Um Dia de Fúria e Tempo de Matar são a prova disso. Porem, tinha um certo Homem Morcego no meio do caminho que, digamos, entornou o caldo do cineasta, e ele praticamente caiu em desgraça, quase abandonando a carreira por completo. A prova disso é que depois do famigerado Batman & Robin, nunca mais o diretor fez um bom sequer. Com uma exceção: este 8 MM, um thriller de suspense que coloca no chinelo muitas produções desse subgênero hoje em dia.




Por sinal, chega até mesmo a ser irônico que este filme aqui (tirando a parte da pornografia barra-pesada, evidentemente) foi tudo o que a produção do Homem Morcego, dois anos antes, deveria ter sido e não foi: um clima soturno, bastante voltado para o cinema de horror, embalado com partes…
Dica de Filme

"Canções de Amor" 
2007
Direção: Christophe Honoré


A simplicidade e o inusitado se encontram neste alegre, triste e delicioso filme de Honoré
Alguns filmes são inusitados. Outros, são simples. Já, outros, de tão simples, são inusitados.E, é mais ou menos essa a linha que segue Canções de Amor, uma produção que parece ser comédia romântica, parece ser um musical, parece ser um drama, e no final, entrega tudo isso junto com bastante graça, leveza e carisma. E, tudo isso sem apelar para soluções fáceis de roteiro, nem personagens caricatos ou irritantes. Ao contrário: praticamente todos os personagens aqui são interessantemente peculiares, cada um com as suas pequenas excentricidades, mas, bastante cativantes.




Logo de cara, somos apresentados a um engraçado e inusitado trio amoroso consensual formado por Ismael, Julie e Alice, todos com as suas particularidades bem definidas, e cada um bem consciente do seu papel nessa relação. Por si, essa premissa já daria uma bela …
Dica de Filme

"Perdas e Danos" 
1992
Direção: Louis Malle


Malle conduz com mão firme este envolvente e fugaz drama sobre paixões fulminantes e suas (nem sempre boas) consequências
Se formos olhar bem, boa parte das histórias que compõem os filmes são bastante simples, quase sacais. O grande mérito dos bons realizadores é o de extrair dessas histórias significados mais profundos, fazendo com que elas tenham algum envolvimento com espectador. Louis Malle, mais conhecido como o diretor que conseguiu transpor para as telas o amalucado livro Zazie no Metrô, conseguiu essa façanha de nos envolver com um enredo, à primeira vista, trivial, no interessante drama Perdas e Danos.




De início, acompanhamos o dia a dia de Stephen Fleming, político britânico, que aparenta ter uma vida normal, com uma família bem estrutura e sucesso profissional em alta. Desde já, uma das grandes qualidades do filme salta aos olhos: a extrema elegância com que Malle filma os cenários e os atores, sempre focando …