Pular para o conteúdo principal

Postagens

Filme Não Recomendável

Bacurau
2019
Direção: Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho


Bacurau até tenta acompanhar o espírito do seu tempo, mas, falha por ter um roteiro extremamente raso (e que pensa ser profundo)
O termo alemão Zeitgeist serve para designar o espírito de uma época. Ou seja, é uma palavra que abarca a cultura de um tempo, os anseios de um povo, ou mesmo um imaginário coletivo. Na arte, isso acaba aparecendo de tempos em tempos, em especial, no cinema.

Em 1999, por exemplo, alguns dos melhores filmes daquele ano retrataram a possibilidade do fim do mundo, e muitos questionaram valores, dogmas e estigmas sociais. Podemos dizer que 2019 também teve o seu Zeitgeist cinematográfico, onde produções como Parasita e Coringa conseguiram abordar questões centrais da atual conjuntura sócio-política, como luta de classes e exclusão social.

Um brasileiro, contudo, ganhou ares semelhantes por público e crítica. Porém, com reslutados bem abaixo do hypé que se criou em torno dele. Trat…
Postagens recentes
Dica de Filme

O Farol
2019
Direção: Robert Eggers


Diretor do bom A Bruxa faz do seu segundo filme um dos terrores psicológicos mais impactantes dos últimos anos 

Esqueça termos bobos e genéricos como "pós-terror". No geral, não servem pra muita coisa, a não ser gerar debates rasos sobre o que é e o que não é terror, e se filmes antigos também não se enquadrariam nessa categoria. Por que não pensar que são apenas produções de terror psicológico, e pronto, assim como foi O Bebê de Rosemary, mais de 50 anos atrás?

Bem, independente de rótulos, certo mesmo é que uma nova geração de ótimos filmes do gênero tem despontado em anos recentes. Claro, nem sempre o resultado é positivo, e muitos filmes acabam sendo mais pretensiosos do que perturbadores (caso de Midsommar, uma decepção das grandes). Porém, vez ou outra, aparecem aquelas produções (BEM) acima da média, e que chegam como um baque na mente do espectador.

O Farol, que perigava ser só mais um exercício autoindulgente do que bom e…
Dica de Filme

O Irlandês
2019
Direção: Martin Scorsese


LEGADOS ESQUECIDOS PELO TEMPO
Não existe cineasta vivo nos dias atuais que se compare a Scorsese. E a prova está aqui, com O Irlandês. Interessante notar que, assim como o diretor, os atores principais desse filme estão na terceira idade (Joe Pesci, inclusive, estava aposentado quando topou participar da produção), e o filme, entre os seus temas principais, trata sobre a questão do legado, e mais particularmente, o legado após a velhice, período da vida onde muitos questionam suas ações, e se tudo realmente valeu a pena. Ou seja, O Irlandês dialoga diretamente com os envolvidos diretos do longa, mostrando ser um dos trabalhos mais reflexivos (e bonitos) de Scorsese. 





Importante salientar que a longa duração do filme (3h 29min) é extremamente bem usada pelo cineasta, que mostra aqui um senso rítmico impressionante. Nada é desperdiçado aqui, nem diálogos, nem imagens. As falas, inclusive, são muito bem colocadas no roteiro, dando um dina…
Dica de Filme

Coringa
2019
Direção: Todd Phillips


Nem de heróis, nem de vilões... Coringa é um filme de (e sobre) empatia
O bom cinema (aquele que fica "cravado" na sua mente) não é feito de obviedades. Apesar de "produtos enlatados" para consumo rápido serem lançados todo dia (e fazerem muito sucesso), o que fica para a posteridade mesmo é algo feito com o mínimo de audácia.

A questão é que, neste caso, as interpretações de uma obra audaciosa (e um tanto controversa) podem, sim, ser muito rasas, o que acaba diminuindo o que aquele filme quis expôr. Mas, inevitavelmente, sempre haverá julgamentos precipitados de qualquer obra.

Dito isso, Coringa pode ser classificado, a priori, como um filme de emoções intensas, porém, ele é muito mais do que isso, mesmo numa primeira assistida. Muitos gostarão, e outros detestarão, mas, pouquíssimos conseguirão ficar indiferentes ao que a nova produção da Warner tem a oferecer.

Por que (repito: POR QUE) um filme baseado em quadrinhos …
Dica de Filme

Parasita
2019
Direção: Bong Joon Ho


Num mundo repleto de parasitas, a vida é um mero ato de sobrevivência
Mesmo que o mundo pareça (e só pareça) um lugar mais igualitário nos tempos atuais, é inegável que a divisão das classes sociais continua acentuada, bastante delimitada, e transpassar essas barreiras continua sendo um ato de ousadia. Até mais do que isso: no limite da necessidade de uma vida melhor, perdem-se os limites, os parâmetros. Num mundo diferente disso, Parasitas, novo trabalho do diretor Bong Joon Ho, seria um drama distante, sobre uma sociedade igualmente distante. Porém, fora os eventuais exageros de uma ficção, aqui o negócio é "quase" documental, um espelho que nós insistimos em não ver o seu reflexo. Certamente, não queremos nos ver em nenhum dos personagens aqui. Nenhum! Mas, precisamos...





Não, não se trata aqui do velho clichê "filme importante" ou "filme fundamental". Pelo menos, não somente isso. O roteiro é hábil, meticulos…