Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 25, 2015
Especial


Mas, Afinal, Quem Foi David Foster Wallace?

A morte não eleva os homens, torna-os apenas um pouco mais conhecidos. Quem se encarrega de transformar alguém em grande ou pequeno é o tempo, sempre ele, a moldar nossas vidas, com pequenas características que nos definem, aqui e acolá. Vejam o caso de David Foster Wallace, por exemplo. Passou exatos 46 anos aqui na Terra. Nesse curto espaço de tempo, conseguiu uma legião de fazer inveja a muitos romancistas (ditos) renomados. Mas, a fama, muito dela, póstuma, de Foster Wallace, justifica-se?

É certo que estamos carentes de excepcionais escritores (Valter Hugo Mãe é exceção, que fique claro). Comparado a outrora, parece que essa geração desaprendeu o dom da escrita poderosa. Entre best sellers e algo que realmente valha a pena, há um imenso abismo (e, uma diferença numérica gritante). Por isso, Foster Wallace se notabilizou como um clássico contemporâneo, não, necessariamente, devido à sua prematura morte, mas a todo um arcabouço qu…
Especial




Clipes Sombrios

O Dia das Bruxas chega, e com ele, a sensação de que o ser humano tem, sim, o seu lado sombrio. Mesmo aqueles que se esquivam, são meio que atraídos, às vezes, para um mundo mais macabro. Esses clipes, cada um à sua maneira, mostra com a música soturna pode render um som com qualidade, embora tendo imagens que possam gerar pesadelos em alguns.

Boa noite e boa viagem.


10º
"The Perfect Drug" - Nine Inch Nails



9º  "Ratamahata" - Sepultura



"Black Nº 1" - Type O'Negative


"Lullaby" - The Cure


6º  "Life Wasted" - Pearl Jam



"Breathe" - Prodigy



"Mary" - Supergrass



"Ov Fire and the Void" - Behemoth


"Rooster" - Alice in Chains


"Sober" - Tool

Dica de Filme

"O Mestre" (2012)
Direção: Paul Thomas Anderson.


Paul Thomas Anderson é, sem dúvida, um dos diretores mais peculiares surgidos nos EUA nos últimos anos. Seus filmes seguem uma lógica toda particular, geralmente amparada em fortes sentimentalidades, como prazer, angústia e desespero, e, em alguns casos, um traço muito forte de religiosidade. "Boogie Nights" e "Magnólia", seus melhores trabalhos até hoje, seguem essa linha, e se tornaram clássicos modernos.

"O Mestre", no entanto, mesmo não tendo a mesma força dos trabalhos citados acima, é bem melhor do que o "burocrático" "Sangue Negro", seu filme anterior. Primeiro, porque tem um anti-herói brutal e apaixonante em sua não-adequação social, Freddie Quell (interpretado de maneira impressionante por um irreconhecível Joaquim Phoenix). Segundo, porque os traumas de guerra vividos por esse personagem são mostrados sem retoques. E, terceiro, esses traumas o levam a con…
Especial


Clipes com Temática Social

Parece fácil fazer críticas sociais, principalmente, na música, mas poucos são os que conseguem unir boas ideias e um som que seja realmente relevante. Juntar o útil ao agradável, enfim. Este lista reúne alguns dos clipes mais fortes nesse sentido, e, por tabela, alguns dos mais emblemáticos da carreira de cada um desses artistas.


10º 
"Até Quando?" - Gabriel, o Pensador

Gabriel sempre foi uma espécie de revoltado fake, com letras simplórias e um tanto fabricadas para fingir indignação. Mas, quando abraçou o rock de vez no disco "Seja Você Mesmo (Mas, Não Seja Sempre o Mesmo)", de 2001, conseguiu equilibrar um bom discurso com uma sonoridade competente. O clipe de "Até Quando?" mostra a inércia do cidadão atual, sentado eternamente em sua poltrona, assistindo TV, e pouco se lixando para os problemas atuais.



9º 
"American Idiot" - Green Day

O punk sempre foi revoltado por natureza. Mas, nos anos 90, ele ficou "…
Dica de Disco

"Heaven and Hell" (1980)
Artista: Black Sabbatah.


Algumas obras, realmente, estão "fadadas" a serem clássicas, não importando as circunstâncias. Em se tratando de uma banda como o Black Sabbath, não deveria ser algo surpreendente. Mas, no final dos anos 70, não era bem assim. Um dos frontmen mais carismáticos da história do rock tinha acabado de sair do grupo: Ozzy Osbourne. Substituir o eterno madman à altura parecia algo impossível. Só mesmo um milagre dos desuses!

Eis que surge o baixinho Ronnie James Dio, e o seu vozeirão dos infernos. Já fazendo um razoável sucesso com o Rainbow, banda do Ritchie Blackmore, Dio se integrou ao Sabbath, e algo inusitado aconteceu. Normalmente, quando um grupo muda de vocalista este se adapta ao som dela. Aqui, não! Foi a banda que se adequou ao seu novo cantor. Se antes o Sabbath tinha um som mais arrastado e soturno, agora, as músicas eram mais rápidas, pesadas e cadenciadas, aproximando-se mais do heavy metal do qu…
Dica de Filme

"Namorados Para Sempre" (2010)
Direção: Derek Cianfrance.


Algumas coisas enganam fácil. Alguém desavisado, ao pegar o título deste filme, logo pensaria estar diante de mais uma daquelas comédias românticas clichês, água com açúcar. Alguns minutos depois, o equívoco desaparece. Pouca coisa aqui é para rir ou se "encantar". Sim, "Namorados Pra Sempre" é um drama triste e carregado, com uma boa dose de melancolia. O que fez as distribuidoras brasileiras darem esse nome no lugar do original ("Blue Valentine"), só os deuses sabem.

Depois de esquecer a horrível tradução brasileira, podemos, então, acompanhar o relacionamento de Dean e Cindy.  Com uma filha, parecem formar uma família perfeita, sem problemas. Mas, logo um caso específico desencadeia uma crise: o desaparecimento do cão que criavam. Ao ser encontrado morto, na estrada, a situação é uma ótima desculpa para discussões, brigas. No entanto, trata-se apenas de uma faísca. O casame…
Dica de Filme

"Dois Dias, Uma Noite" (2014)
Direção: Jean-Pierre Dardenne.


Simplicidade funciona que é uma beleza, como diria o filósofo, mas, é difícil de conseguir. O cinema, em alguns momentos atuais, parece ter entrado naquela obrigação de ter que ser rebuscado. E, olhem que isso vale tanto para os blockbusters de super-heróis, quanto para as produções cults, que acham que dialogam com a Nouvelle Vougue, o Expressionismo Alemão... Contar uma boa estória, de forma direta, virou uma espécie de sacrilégio. Porém, temos boas exceções à regra, como o brasileiro "Que Horas Ela Volta?" e este "Dois Dias, Uma Noite".

Não que a estória, em si, precisasse de algum esforço sobre-humano para ser contada, mas, é gratificante ver uma produção dedicada a colocar os pingos nos "i"s, sem tantas coisas supérfluas O enredo? Trata da trajetória, um tanto injusta, de Sandra, que, na iminência de perder o emprego, resolve, em dois dias, convencer seus colegas de tr…