Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 4, 2014
DICA DE DISCO

"CICATRIZ", NAÇÃO ZUMBI (2014)




Eis que a Nação, após 7 longos anos, lança um disco de inéditas após o ótimo "Fome de Tudo". E, a espera, será que valeu a pena? Vamos por partes.

Nesse meio tempo, a banda fez a gravação de seu primeiro DVD em Recife cheio de problemas técnicos. O produto final, colocado à venda 4 anos depois, é bom, mas, para quem estava no show em si, sentiu um certo cansaço do grupo. Não físico, mas mental. Ele já começava a dar ares de fadiga, tocando sem muita empolgação (salvo o sempre excelente Lúcio Maia). Algum tempo se passa, e eles lançam, com a Mundo Livre SA um disco de covers, em que uma banda tocava as músicas da outra. O resultado ficou interessante. Nitidamente a Mundo Livre se mostrava mais empenhada no trabalho.




Por fim, chegamos ao disco em questão, "Cicatriz", e a mesma sensação de cansaço parece continuar. A começar pela primeira música, que dá título ao álbum. Enquanto que em trabalhos anteriores o "…
DEBATE SOCIAL

BANDIDO BOM É BANDIDO PRESO (E, NÃO LINCHADO)




A sensação de impunidade ante tanta violência é, de fato, opressora. Porém, isso está sendo usado como desculpa para a barbárie. Depois que um adolescente infrator foi amarrado e espancado num poste, na cidade do Rio de Janeiro, no começo desse ano, ocorreu uma verdadeira onda de realizar a chamada "justiça com as próprias mãos". Além dos atos de violência em si, eles ainda chegaram a ser gravados e publicados em redes sociais, como um troféu da população contra a inoperância do Estado em prover segurança. Mas, até que ponto pode ser justificado aos civis se rebelarem dessa maneira?

Primeiro, precisamos pensar como classificar atos assim. É consenso de vários (principalmente, juristas) que tratam-se de torturas. Então, partamos para o que a lei diz. Nossa Constituição de 1988 estabelece em seu artigo 5°, inc. III, que "ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante". É bem claro: t…
DICA DE FILME

"Deus os Cria 2" (2004)




Este filme porto-riquenho é um tanto inusitado. Primeiro, ele não parece ser cinema, mas sim literatura, pela forma como os enredos são narrados. Depois, podemos dizer que é uma produção emocionante, mas não é pasteurizada, que você já desconfia ser falsa de cara. E, ainda temos um tom semi-documental, onde o conjunto das histórias é mostrada de maneira bastante verídica, mas sabemos também que se trata de ficção.

Esses "jogos" na estrutura narrativa propostos pelo diretor Jacobo Morales dão um tom bem interessante ao longa, ao mesmo tempo que ele toca em temas delicados com uma certa facilidade. Esse filme, na realidade, é a continuação de "Deus os Cria", que Morales fez em 1980. Mais de vinte anos depois, o cineasta retoma a estrutura original (divisão em pequenas histórias para mostrar suas críticas à sociedade contemporânea).




Aqui, a primeira história, "O mesmo de outra maneira", é quase uma auto-biografi…
DICA DE FILME

"KARAMAZOVI" (2008)




Adaptar um clássico literário para o cinema sempre é uma tarefa arriscada. Uns, preferem a zona de conforto de passar, exatamente, o que está no livro para o filme. Outros, são ousados e, praticamente, reinventam a estória original. Esse "Karamazovi" não se enquadra em nenhuma dessas categorias; ao mesmo tempo que atualiza o texto, não deixa perder sua essência.

O romance “Os Irmãos Karamazov”, de Fiodor Dostoievski (1821/1881), mostra o desmoronamento de uma família, cuja moral foi perdida a tempos, chegando ao ponto do patriarca dela relegar os cuidados dos filhos a um segundo plano. Cada um deles, com uma distinta personalidade, passa a odiar o pai (e não sem razão). O livro é um panorama da sociedade russa da segunda metade do século XIX, e tem início, verdadeiramente, quando o patriarca é misteriosamente assassinado por um dos filhos. A trama passa a girar em torno do crime e de seus prováveis suspeitos.




Já, o filme "Karam…