Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 21, 2016
Filme (mais ou menos) Recomendável
"Guardiões da Galáxia" (2014) Direção: James Gunn.

O que ainda esperar de filmes de super-heróis? Pode parecer preconceito, mas, verdade seja dita: geralmente, esse tipo de produção oferece, quase sempre, o velho feijão com arroz. Heróis e vilões com as mesmas motivações, a mesma carga melodramática, os mesmos alívios cômicos, os mesmos efeitos visuais (nem sempre deslumbrantes). Enfim, não é que todo e qualquer filme do gênero seja ruim, mas, é, no mínimo, desapontador que nos quadrinhos tenhamos um tom mais bem elaborado que no cinema.
Então, quando chega algo que, aparentemente, está acima da média, é saudado como uma obra-prima. Este "Guardiões da Galáxia", por exemplo. Há um consenso de que se trata da melhor adaptação cinematográfica da Marvel, ao lado de "Capitão América 2". E, de fato, é. Porém, os outros filmes da editora são tão fracos que ser o melhor entre eles acaba não sendo muita coisa. E, falando a verdade,…
Dica de Filme

"The Blood - Os Filhos do Medo" (1979)
Direção: David Cronenberg.


Está bem difícil meter medo no espectador de cinema atualmente. Na realidade, os recentes filmes de terror assustam mais pelo nível de ruindade do que pela história em si. Parece que foi-se o tempo em que se sabia como mexer com os sentimentos de pavor das pessoas. E, Cronenberg sabia muito bem como fazer isso.

Este "The Blood" é o seu segundo trabalho. Mas, mesmo precocemente, o cineasta, demonstra grande domínio sobre sua obra, descrevendo como pouco no gênero o mal intrínseco a nós. E, o filme, além disso, possui algo de muito autobiográfico. Nessa época, ele estava passando por um processo intenso de divórcio, e isso, com certeza contribuiu para o desenvolvimento da trama.

De que se trata o enredo, afinal? Primeiro, logo no começo, vemos uma cena que parece ser uma encenação teatral. E, de fato, é. Porém, o que estamos vendo não é uma peça de ficção, mas, um "tratamento psiquiátr…
Dica de Filme

"Um Homem Entre Gigantes" (2015)
Direção: Peter Landesman.


Os títulos que as distribuidoras brasileiras dão a filmes estrangeiros deveriam virar estudo acadêmico. Parece que sempre querem carregar mais ainda na mensagem que o filme, por si, já passa, fazendo da tradução algo, no mínimo, piegas. Por exemplo, muito melhor teria sido se tivessem deixado o título original desse aqui ("Concussion") intacto. Isso porque concussão não só explica, literalmente, um dos pontos da trama, como também representa, metaforicamente muito bem, um duelo sem proporções entre uma pessoa comum e uma grande conglomerado de entretenimento. Mas, vamos por partes.

Assim como no Brasil acontece com o futebol de campo, lá nos EUA o futebol americano é visto quase como uma religião, ao mesmo tempo que é um negócio altamente lucrativo. É quando o neuropatologista Bennett Omalu entra na história. Realizando autópsias nada convencionais, ele descobre algo estranho. Um ex-jogador de f…
Dica de Filme

"Boa Noite, Mamãe" (2016)
Direção: Veronika Franz.


Tentem recordar: qual o último filme de terror realmente marcante? Ok, tivemos um "Invocação do Mal" aqui, um "Deixe Ela Entrar" acolá, mas, pra um gênero que, nos tempos áureos, lançava, pelos menos uns cinco grandes filmes por ano, convenhamos que a época é de vacas magras. Talvez a pergunta que melhor caiba é: será que já foi feito de tudo em termos de terror, ou ainda pode surgir alguma novidade? Se não surgir, dá pra requentar bem velhas fórmulas?

Este "Boa Noite, Mamãe" cabe na segunda questão. Sim, vocês já viram esse tipo de enredo antes, o desenrolar da história, a tensão crescente, e a grande "surpresa" na parte final. Não se enganem, estamos diante algo que já assistimos outras vezes, porém, que teve impacto maior. Mesmo assim, o conjunto funciona bem, e proporciona uma produção interessante de ver, mesmo que rodeada de muitos clichês.





Desde um núcleo familiar re…
Dica de Filme

"A Vida é Bela" (1998)
Direção: Roberto Benigni.


Num documentário sobre o filme "O Grande Ditador", de Chaplin, alguém diz que "a melhor maneira de combater um regime autoritário é rir dele, mostrar o quanto ele é patético". Só que, pra alguns, fazer graça com algo como a guerra pode parecer de mau gosto. Quando o cineasta italiano Roberto Benigni fez a sua fábula sobre o assunto, muita gente, à época, ficou com o pé atrás. Será que "A Vida é Bela" conseguiria manter a mesma força da obra-prima de Chaplin? A resposta foi além das expectativas.

O que Benigni realizou foi muito simples (de tão desconcertante): "A Vida é Bela" é uma ode à beleza da vida, às coisas simples, ao humor ingênuo. E, quando se presta ao ridículo é para criticar o autoritarismo das ditaduras, que são, todas elas, ridículas, mesmo. Ajuda o fato do ritmo do filme ser elétrico, pulsante, muito apropriado para a escola italiana de cinema, que muitos taxam…