Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 3, 2016
Debate Sócio-Político

R.I.P. JORNALISMO


O jornalismo, pelo menos, o brasileiro, está decadente, em coma, quase morto. Não que no restante do mundo a imprensa não dê ares de circo de vez em quando, mostrando que a mídia pode mais desinformar e distorcer do que qualquer outra coisa. Mas, no Brasil é um pouco diferente. Aqui, temos uma cumplicidade generalizada, muito bem mascarada pelo nosso famoso "jeitinho", que não vê nada de mais em o jornalismo se prestar a ser bajulador de governos ou de empresas privadas. Liberdade de imprensa ou liberdade de empresa? Não há diferença, pois o interesse nunca é o bem comum, da sociedade como um todo.

Exemplos? Muitos. É o caso da polarização que a revista Veja sempre fez, mas, que hoje está escancarada de forma além da vergonha. Claramente, ela não faz um jornalismo de crítica e denúncia, mas, de fofoca e de escracho. A capa dessa semana, só para se ter uma ideia, remete mais a publicações de games e histórias em quadrinhos do que em fato…
Dica de Filme

"A Bruxa" (2016)
Direção: Robert Eggers.


Filmes de terror há muito não assustam. Da mesma forma que os melhores exemplares do gênero recentemente resvalaram mais para o drama do que para o terror propriamente dito (caso dos ótimos "O Sexto Sentido" e "Os Outros", ambos com histórias estupendas, mas, não necessariamente assustadoras). "A Bruxa", apesar de ter uma narrativa inferior a estes, está bem acima da média do que é vendido por aí para amedrontar a platéia.

Seu grande trunfo deve-se ao fato de que ele não se presta a sustos fáceis. Não há portas rangendo, nem repentinos sons estranhos para fazer o espectador pular da cadeira. O horror é mais intenso, climático, interno, numa construção que vai crescendo ao longo do tempo. Chega ao ponto de se sentir medo de um simples e, aparentemente, inofensivo coelho. Esse horror brotando das entranhas realmente causa calafrios.




Porém, a produção se preta também a ter uma boa história, reple…
Dica de Filme

"Réquiem para um Sonho" (2000)
Direção: Darren Aronofsky.


A futilidade, o ridículo, o sofrimento a dor sem fim. Uma espiral sem esperança. O máximo de deterioração física e mental que um ser humano é capaz de suportar. "Réquiem para um Sonho" pode (mas, não deve) ser resumido assim. Trata-se de algo a mais. Algo além de um mero conselho, um tapa na cara da hipocrisia, um desconforto tremendo, uma carga dramática pesadíssima. Um filme assim poucas vezes é feito, e, por isso, é preciso mergulhar em sua proposta (mesmo que a assimilação seja angustiante).

Estamos diante de um cinema difícil. É o clichê os clichês, porém, não há como começar falando deste filme sem dizer que ele é (muito) difícil. A princípio, parece ser uma cópia de "Transpotting": o cotidiano de jovens viciados em todo tipo de substâncias ilícitas. Somos logo apresentados a Harry e sua mãe Sara. Ele aparece, literalmente, roubando a TV dela para comprar drogas. Ela, constrangida…
Dica de Filme

"Rede de Intrigas" (1976)
Direção: Sidney Lumet.


Existem coisas esquecíveis, ou que, pelo menos, dissipam-se da nossa memória em pouco tempo. Muitos filmes atuais são assim. Sai-se do cinema, e a lembrança do que se viu vai passando como o vento. Mas, há aqueles que chamamos de atemporais, produções que passam anos e anos, e parecem ser cada vez mais contemporâneos. "Rede de Intrigas", por exemplo, completa 40 anos agora em 2016, e, pelo o que vemos presenciando na vida real, ele ainda tem muito a dizer, especificamente, sobre os grandes impérios midiáticos.

Talvez, uma palavra que o caracterize bem seja ousadia. Sem medo algum, o filme vai tecendo críticas ácidas em cima de críticas ácidas sobre os negócios da comunicação em massa, especialmente, a TV. O diálogo inicial mostra muito bem isso: vemos o âncora de telejornal Howard Beale e Max Schumacher, que trabalha na mesma emissora, falando sobre programas que poderiam ser sucesso. Bêbados, chegam a co…