Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 22, 2016
Dica de Disco

"Future, Present, Past" (EP) (2016)
Artista: The Strokes.


A indústria fonográfica não é um ambiente nada fácil. Muitas vezes, nem importa tanto o talento musical, e sim, como você sobrevive, dando o que o público quer, e ao mesmo tempo, não perdendo uma certa integridade. O que também é uma faca de dois gumes, pois, ou o artista se reinventa, e corre o risco de ser taxado de "traidor", ou ele permanece fazendo a mesmíssima coisa, e é acusado de estagnação. Há um meio termo? Provavelmente, sim, e o Strokes, pelo visto, está buscando esse equilíbrio.

Começou lançando o seminal "Is This It?", partindo para a boa continuação "Room on Fire", e culminando no competente "First Impressions of Earth". A partir daqui, foram as tentativas de reinvenção. "Angles" e "Comdown Machine" poderiam ser considerados ótimos álbuns caso fossem feitos por uma banda iniciante. Porém, o Strokes já tinha uma certa bagagem, e as e…
Dica de Filme

"V de Vingança" (2006)
Direção: James McTeigue.

"Lembrai, lembrai do cinco de Novembro. A pólvora, a traição, o ardil. Por isso, não vejo como esquecer uma traição de pólvora tão vil."

Às vezes, um elemento da cultura se expande de tal forma que fica incontrolável, até mesmo para os seus criadores. Afinal, será que o escritor Alan Moore e o desenhista David Lloyd, um dia, imaginariam que os quadrinhos de "V de Vingança" pudessem gerar um dos mais espetaculares filmes baseados em HQ's? E, os realizadores da versão cinematográfica, será que poderiam prever que a figura do personagem V pudesse se tornar tão emblemática para essa geração que, rapidamente, a sua máscara foi adotada por militantes no mundo todo? Raríssimo e fascinante caso em que a arte influencia (bastante) a vida real.

Mas, tudo o que está em volta de "V de Vingança" não tira os méritos individuais de cada uma de suas mídias, em especial, sua versão para cinema. Na re…
Lista

10 Exemplos de que Blockbusters Hollywoodianos não Precisam ser Descartáveis


De origem inglesa, a palavra "blockbuster" pode ser traduzida livremente como arrasa-quarteirão. Muito usada no cinemão hollywoodiano, essa expressão tem por objetivo indicar aqueles filmes que tendem a ser muito populares, arrecadando enormes quantias de dinheiro mundo afora. Geralmente, são produções com elevado custo, e com um cuidado visual assombroso. O problema: geralmente, os deslumbrantes efeitos especiais dos blockbuster são inversamente proporcionais à qualidade em outros aspectos, como atuações, direção ou roteiro. Não raro, filmes assim possuem uma história que, além de ruim, é mal conduzida. No entanto, existem honrosas exceções, aquelas produções que conseguiram ir além da mediocridade, e entregaram filmes não só visualmente magníficos, mas também com história e conteúdo. Se todos os blockbusters fossem assim, seria ótimo.


10° "Tubarão" (1975) Quando as mega produções de H…
Dica de Filme

"Spider - Desafie sua Mente" (2002)
Direção: David Cronenberg.


Simbologicamente, a aranha e sua teia possuem vários significados. Um deles, presente na psicanálise, refere-se à obsessão pelo centro, absorvendo grande introspecção, chegando até mesmo a reverberar no narcisismo. No caso de Spider, personagem título deste filme, a introspecção chega às raias da loucura, e a teia da aranha passa a representar o intrincado da mente humana, com todas as suas falhas, desassossegos, paranoias e medos. E, de forma até óbvia, esta é uma das produções mais minimalistas do cineasta Cronenberg.

Quase sempre partindo para o grotesco em seus filmes, com o intuito de criticar as limitações da sociedade, aqui, temos um Cronenberg mais contido, sombrio, até mesmo triste. Ao acompanhar as perturbações de Spider, que vão se revelando aos poucos, nós também somos levados a um mundo de paranoias e intimismo. Sentimos o cheiro do ar (muitas vezes, com repugnância), escutamos cada som c…
Dica de Disco

"MM3" (2016)
Artista: Metá Metá.


É da banda Metá Metá a estupenda cantora Juçara Marçal, que nos presenteou com o seminal "Encarnado", em 2014. Mas, o grupo, a despeito de sua "estrela", nunca abdicou de uma personalidade própria, Sempre com uma mescla de ritmos, aparentemente díspares, a Metá Metá tem uma discografia bem interessante, para dizer o mínimo. E, eis que, há poucas horas atrás, ela lança, "de surpresa", seu mais novo disco, "MM3", que pode ser baixado gratuitamente no site oficial da banda.

De cara, solta aos ouvidos, uma sonoridade mais pesada, calcada, majoritariamente, por levadas com toques de jazz. Claro, a poderosa voz de Juçara, que aqui flerta bastante com cânticos afros, continua como um dos pontos positivos, mas, também é muito gratificante escutar arranjos bem trabalhados, mas, pouco convencionais, que dão um banho no show de mesmice que assola a música brasileira atual. Muito disso se deve ao saxofo…
Dica de Disco

"Origins - Vol. 01" (2016)
Artista: Ace Frehley.


A quem diga que o rock morreu. Sim, hoje em dia não parece haver alguma nova banda que daqui há alguns anos se transformará num gigante do gênero. Mas, a prova de que o estilo continua dando lampejos de vida é a insistência dos cânones em fazer boa música. Os velhos dinossauros, vez ou outra, ressurgem pra mostrar como se faz. E, eis que temos um dos discos mais bacanas de rock deste ano a cargo do senhor Ace Frehley, guitarrista de uma das melhores fases do Kiss.

O tempo de estrada fez bem a Ace, que aqui revisita temas de artistas que foram suas influências. Isso mesmo; estamos diante de um disco de covers (e, que covers!). O diferencial é que o guitarrista faz questão de executar versões que repeitam a estrutura original de cada canção, com as características de cada um dos artistas homenageados, mas, sem ser mera cópia. É Ace Frehley distorcendo sua guitarra, colocando muito veneno em cada acorde; coisa de quem…
Dica de Filme
"Gangues de Nova Iorque" (2002) Direção: Martin Scorsese.

Este filme é superlativo em muitos aspectos. Primeiro, até hoje, mostra-se como uma das obras máximas do mestre Scorsese, ficando ali, só alguns degraus abaixo de "Taxi Driver", "Touro Indomável" e "Os Bons Companheiros" (o que, convenhamos, já seria algo extraordinário). Mas, o cineasta vai além, e nos presenteou com uma história bem forte, interpretada por um elenco primoroso, com uma narrativa de encher os olhos. Dessa safra recente de filmes do diretor, sem dúvida, "Gangues de Nova Iorque" é o melhor.

Pra fazer uma obra assim, Scorsese simplesmente mostrou o que sabia fazer de melhor. Pra começo de conversa, utiliza sua grande "paixão", a cidade de Nova Iorque, para ambientar as várias formas de violência. Só que ele não se limitou a falar de uma máfia recente, indo até os primórdios da região, mostrando aquilo que poderia ter sido a raiz de toda a viol…