Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 22, 2017
Filme Mais ou Menos Recomendável

"A Qualquer Custo" (2016)
Direção: David Mackenzie


Alguns filmes nos soam tão familiares, que pensamos se tratarem das mesmos realizadores daquelas produções que já conhecemos. "A Qualquer Custo", por exemplo, pode muito bem ativar a memória do espectador, remetendo diretamente a "Onde os Fracos não têm Vez", dos irmãos Coen. A estrutura, junto com a temática, formando uma espécie de "comédia de erros", com personagens, propositalmente, atrapalhados e bastante caricatos vai lembrar muito o jovem clássico dos Coen. O problema é que vai só lembrar, mesmo,  pois, "A Qualquer Custo" têm muitas intenções interessantes, mas,  uma realização capenga.
Já começa pela dupla que protagoniza a história (os irmãos Toby e Tanner Howard), extremamente irritantes e burros em suas ações. O problema é que se o roteiro fosse melhor estruturado, subvertendo clichês e paradigmas do gênero (neste caso, um faroeste moderno), a …
Dica de Filme

"Moonlight" (2016)
Direção: Barry Jenkins


Ritos de passagem são necessários para o amadurecimento de todos. Só que, muitas vezes, podem ter o efeito contrário: com o passar do tempo, e dependendo dos acontecimentos da vida, nem sempre a fase adulta se torna mais tranquila. Família, amigos, escola; tudo pode influenciar negativamente para o surgimento de algum trauma, ressentimento ou angústia profunda. No cinema, são diversas as formas de simbolismo que retratam situações dessa natureza, e "Moonlight", forte candidato ao Oscar desse ano, é mais um que nos apresenta as principais fases da juventude em sua concepção narrativa. Com algumas diferenças bem marcantes, é bom ressaltar.
A trama é centrada, no (ainda menino) Chiron, que, não por acaso, é chamado de "moleque" por todos, e este é o título da "primeira parte". E, ele é apresentado a nós de maneira tensa, quando é perseguido por garotos da vizinhança que querem bater nele. Salvo …
Dica de Filme

"La La Land - Cantando Estações" (2016)
Direção: Damien Chazelle


Alguns gêneros cinematográficos causam certa ojeriza. É o caso dos musicais. E, a culpa não é dos grandes clássicos do estilo. O problema é que muita coisa ruim foi feita nos últimos anos sob a alcunha de ser um "musical", o que, logicamente, acabou criando um estigma. Então, cada vez que algo no estilo é anunciado, causa, no mínimo, desconfiança por parte dos cinéfilos. No entanto, vem a surpresa: "La La Land" é um dos melhores musicais feitos nesta década, mas, dada a qualidade geral, não significa algo de tão extraordinário.
Grande parte do mérito do filme se deve ao diretor Damien Chazelle, do igualmente bom "Whiplash", que, ao menos, conduz tudo com leveza e carisma. A cena inicial, por exemplo, mostrando pessoas num típico engarrafamento de Los Angeles, e saindo de seus carros para dançarem e cantarem, é realmente espetacular, e mostra bastante domínio do cineasta…
Dica de Filme

"A Nona Vida de Louis Drax"
2016
Direção: Alexandre Aja


Uma das vantagens do cinema é que ele pode, de fato, surpreender. Alguns filmes são pequenas excentricidades, produções tão bem-feitas que acaba sendo injusto que muitas não sejam de grande conhecimento do público. "A Nona Vida de Louis Drax", por exemplo. Quem imaginaria que o diretor do apelativo (apesar de interessante em alguns pontos) "Alta Tensão" e do completamente descartável "Piranhas 3D" pudesse realizar um longa sensível sobre a infância, comparável, recentemente, ao belíssimo "Indomável Sonhadora"? Pois, é exatamente o que temos aqui: um bonito exercício metafórico a respeito de uma criança que vê o mundo de uma maneira peculiar.
O Louis Drax do título trata-se de um menino de 9 anos que nasceu com propensão a sofrer acidentes. Todo ano, algo completamente inusitado quase acaba com a sua vida, mas, mas, ele consegue sobreviver. Até que, no seu nono aniversár…
Dica de Filme

"Aprile" (1998)
Direção/: Nanni Moretti


Nanni Moretti é um cineasta que sempre teve algo relevante a dizer, e isso se aplica desde os seus primeiros filmes, até os mais recentes. E, o melhor: geralmente, suas produções possuem um humor inteligente, irônico, provocador, e, de certa maneira, até pouco histriônico, o que contrasta com o cinema italiano como um todo. A preocupação de Moretti é fazer rir e pensar, muitas vezes, de forma leve e descontraída, e em outras, nem tanto, mas, em todos os casos, respeitando a inteligência do espectador, não colocando soluções fáceis em suas tramas.
"Aprile", portanto, é puro Moretti, inclusive, com a presença maciça do cineasta a todo tempo na produção. Sim, pode até parecer uma certa vaidade da parte dele, mas, como os seus textos e mensagens, a cada filme, são muito bons, então, releva-se essa questão dele ser quase onipresente na película, e nos concentramos em suas críticas, que são muito peculiares e interessan…