Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 3, 2016
Filme Mais ou Menos Recomendável

"Os Oito Odiados" (2015)
Direção: Quentin Tarantino.


Quem é fã de cinema moderno, com certeza, gosta (pelo menos, um pouco) do trabalho de Tarantino. Não é pra menos, afinal, suas duas primeiras empreitadas na sétima arte são filmaços: "Cães de Aluguel" e "Pulp Fiction", produções que, praticamente, redefiniram o cinema independente dos anos 90. Só que depois disso, foi ladeira abaixo (os insossos "Jackie Brown" e "Django Livre" são prova disso). Ok, no meio tínhamos um espetacular "Bastardos Inglórios", um trabalho realmente memorável. O que deixou este "Os Oitos Odiados" com uma carga um tanto pesada para provar que Tarantino não perdeu a mão. E, ele quase conseguiu.

Sim, pois, seu mais novo filme tem momentos muito bons, é verdade, mas, não se segura bem o tempo todo. O começo, mostrando uma bela (porém, inóspita) paisagem, parece tentar mostrar que Tarantino está mais calmo, digamo…
Dica de Filme

"Invocação do Mal" (2013)
Direção: James Wan.


Trabalhar com terror é difícil. Assustar plateias mundo afora parece trabalho quase impossível, visto que a computação gráfica engoliu o que de melhor o gênero tinha: o clima. Baseado nisso, James Wan (que dirigiu o primeiro - e melhor - "Jogos Mortais") resolveu fazer um filme que retomasse os clichês desse tipo de produção, mas, com uma narrativa tão vigorosa que parecesse algo inédito. Eis que surge o macabro "Invocação do Mal".

Como acontece nas melhores histórias de terror, aqui o enredo é baseado em histórias verídicas, envolvendo um casal de investigadores paranormais que se tornaram famosos nos EUA na década de 70. São eles que tentam ajudar uma família à beira do caos depois que uma maligna entidade passa a atormentá-la. Falar mais a fundo do roteiro, em si, seria estragar as (boas) surpresas do filme, portanto, o foco, a partir daqui, será falar mais da narrativa e da produção como um tod…
A censura, em muitos casos, é a arma dos ignorantes. Quando atinge a arte, no entanto, a proibição parece ter o efeito oposto do desejado: a obra censurada ganha mais destaque do que se pensava, chegando a ganhar status de obra-prima esquecida. No mundo da música, por exemplo, algumas capas de discos foram vetadas, e, por isso mesmo, tornaram-se clássicas e bastante conhecidas. O bom é que muitos desses álbuns têm muita qualidade sonora, o que compensa uma audição mais apurada deles.


10 CAPAS CENSURADAS DE DISCOS QUE VALEM A PENA SEREM OUVIDOS


10°
"Ritual de lo Habitual" (1990)
Jane's Addiction
A banda do maluco por natureza Perry Farrell compôs ótimos discos de rock para as massas, mas, este aqui é seu maior tesouro. Hit's como "Been Caught Stealing" e "Stop!" se tornaram hinos de uma geração pré-grunge. A capa chamou a atenção pela ousadia da gravura, uma mistura de psicodelismo com cultura oriental muito explícita para os padrões do bom mocismo no…
Dica de Documentário

"Meu Melhor Inimigo" (1999)
Direção: Werner Herzog.


Tem gente que parece ter nascido para ser uma força incontrolável da natureza. Já, Klaus Kinski, ao contrário, parece ter vindo a este mundo com o intuito de ser a própria natureza. O começo deste documentário é bastante enfático nesse aspecto: mostra um Kinski ensandecido numa palestra, vociferando e dizendo coisas desconcertantes; tudo com muita raiva e desespero. No meio do furacão, estava lá, ele, o "melhor inimigo" de Kinski: o cineasta Werner Herzog.

A relação de ambos era explosiva, de amor e ódio, mesmo. Não raro, brigavam publicamente, quase sempre, de forma bem violenta. Mas, foi com Herzog que Kinski fez seus melhores filmes, e vice e versa. Se não, vejamos: "Aguirre - A Cólera dos Deuses", "Nosferatu - O Vampiro da Noite", "Woyzeck", "Fitzcarraldo" e "Cobra Verde". Todos excelentes produções, clássicos indiscutíveis do cinema. E, a co…
Dica de Filme

"The Lobster" (2015)
Direção: Yorgos Lanthimus.


Alguns milagres acontecem, inclusive, na arte. Há alguns anos, pra quem já teve o desprazer de assistir à produção "Dente Canino", sabe muito bem qual o significado da expressão "filme ruim". Deveras apelativo, a sua estória não tinha nexo algum, não passava o mínimo de mensagem, e tudo só servia de desculpa para mostrar cenas "polêmicas", de incesto entre irmãos. Não mais que isso. Enfim, o típico pseudo-intelectual pra cult ver.

Eis que que o novo filme do diretor, "The Lobster", chega, e não é que se trata de uma grande produção. Deixando para trás a péssima imagem deixada por sua empreitada anterior, Yorgos, simplesmente, tece aqui uma bem construída fábula sci-fi sobre as imposições sociais pelas quais as pessoas estão submetidas. As críticas que ele apresenta são certeiras e mordazes, e, com certeza, é o tipo de longa que merece ser assistido mais de uma vez.




A estória, …