Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 8, 2014
DEBATE SOCIAL

OS LEGADOS DA COPA




Hoje, começa a tão alardeada Copa do Mundo no Brasil. E, como todo evento desse porte, e pelo o que ele está sendo usado (mais como plataforma política do que para a diversão passageira do povo), há mais desinformação do que informação. Tudo começou cm o anúncio do evento, em 2007, ainda durante o governo Lula:




A festa,aparentemente, estava garantida. Afinal, somo o país do Carnaval, e sediar uma Copa do Mundo seria um privilégio. Seria! Pois, o tempo passou, e os problemas não tardaram a aparecer. Primeiro, vamos aos gastos. A previsão inicial, que antes era de cerca de R$ 5 bilhões já ultrapassa os R$ 30 bilhões, e especula-se que seja ainda maior após o término do evento. Alguns até afirmam que parte desses gastos foram da iniciativa privado, e não da pública. O que se esquecem é que esse foi o discurso de 2007, onde se prometeu que 70% do dinheiro destinado para a Copa seria privado, tendo financiamento público somente as obras de mobilidade urbana.
DICA DE DISCO

"BLOOD SUGAR SEX MAGIK" (1991)




Tornar-se pop nem sempre é um pecado no meio musical. Mesmo que o termo seja designado, muitas vezes, para apontar artistas descartáveis, vez ou outra, aparece alguma exceção para confirmar a regra. Quando a banda Red Hot Chilli Peppers surgiu, o som deles era um flerte com de tudo um pouco, mas sempre puxado mais pro funk. Após o ótimo "Mother's Milk", eles se trancafiaram num castelo abandonado, sob a produção do sempre competente Rick Rubin, e saíram de lá com "Blood sugar sex magik", sem dúvida, seu melhor disco.

A primeira música, "The Power of Equality", já dá uma bela pista do que o ouvinte irá encontrar ao longo do álbum: bastante swing e cadência, com a cozinha do baixo e da bateria ditando as regras. Não que a guitarra esteja ausente aqui, muito pelo contrário. John Frusciante faz aqui um de seus melhores trabalhos, só que não tenta se sobrepor ao conjunto, apenas complementá-lo.




O disco …
DICA DE FILME

"CIDADE DE DEUS" (2002)




O cinema brasileiro sempre parece viver de ciclos. Já tivemos produções que exploraram bastante o cangaço e a temática sertaneja, o Cinema Novo, as chanchadas, as pornochanchadas... Enfim, são vários assuntos abordados quase que num mesmo período. De uns tempos pra cá, o mote vem sendo a favela e a criminalidade de uma maneira geral. São filmes que se propõem a ser realistas, esteticamente crus, com uma abordagem um tanto social e com uma uma técnica mais voltada para a produção hollywoodiana. Exemplos são muitos, desde "Carandiru" até "Tropa de Elite", porém, quase todos com qualidade duvidosa. No entanto, quem começou tudo isso, e está anos-luz de seus imitadores é "Cidade de Deus".

Claro, aqui estão todas as características que fizeram fama a essa "estética urbana": frases de efeito, ultraviolência e uma linguagem popular. Só que o primeiro filme do publicitário por formação Fernando Meirelles te…