Pular para o conteúdo principal
DICA DE FILME

"O Grande Hotel Budapeste" (2014)
Direção: Wes Anderson.


O apuro visual com que Wes Anderson trata seus filmes realmente impressiona. Mas, não se trata de efeitos visuais apenas para "preencherem vazios". Não estamos falando de um Michael Bay da vida. Aqui, a estética tem uma função, que não é meramente enfeite; ela ajuda na condução da estória, ao mesmo tempo que deixa o espectador vislumbrado na tela.

"O Grande Hotel Budapeste" é, sem dúvida, um filme bonito. E, engraçado. Sim, pois esta é uma comédia, e das melhores. O bom é que Anderson não apela para fazer rir. O humor gira em torno ora do mais puro nonsense, ora de algo mais bobo, inocente, até. Uma mistura dos melhores momentos do Monty Python com Woody Allen, por assim dizer.



O enredo, mesmo não sendo genial (e nem precisa), é bem construído, amarrado, e o diretor mostra bom ritmo na sua condução, prendendo a atenção do começo até o fim. Fala basicamente de diferentes gerações que passaram pelo comando do Hotel Budapeste, com ênfase especial para o seu mais famoso conciérge: Gustave G (interpretado por Ralph Fiennes).

E, nesse momento, conhecemos um pouco mais da sua vida, como ele passou para o seu ajudante Zero os cuidados do Hotel, além do envolvimento com a herança de uma senhora que ele se relacionava. As situações seguem muito bem boladas e divertidas, sem nada de novo, exatamente, porém, com tanto carisma, que deixa o filme com uma cara única.


O elenco é enorme. Vai desde o já citado Ralph Fiennes até Adrien Brody, passando por Willem Dafoe, Jeff Goldblum, Harvey Keitel, Jude Law, Bill Murray e Edward Norton. E, alguns deles, mesmo tendo pouco tempo em cena , mostram-se bem à vontade. De fato, Anderson é um diretor que deve estar com boa moral pra reunir tantos nomes talentosos assim.

A parte visual, claro, é o grande destaque. Com texturas e cores vivas, que mais parecem pinturas, as cenas "saltam" da tela, e, às vezes, fica até difícil acompanhar o desenrolar da estória diante de tantos detalhes. Como se fosse pouco, o roteiro ainda dá umas alfinetadas em questões como a solidão, a guerra e a amizade. Tudo bem leve, mas nada superficial.


Este é mais um belo filme com a marca autoral de Wes Anderson, que, sem muito alarde, vai fazendo filmes interessantes, sem se render a modismos ou imposições dos estúdios. Chega, inclusive, a parecer um Tim Burton em sua época áurea. Que o futuro, então, reserve sempre muita liberdade para Anderson trabalhar suas fábulas inusitadas, descompromissadas, mas sempre com alguma relevância.


NOTA: 8,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…