Pular para o conteúdo principal
DICA DE DISCO

"JARDIM ELÉTRICO" (1971)




Desde que surgiu, em meados da década de 60, Os Mutantes tiveram a benção dos Tropicalistas. Em especial, Gil e Caetano ficaram vidrados na banda, tanto é que o próprio Gil se apresentou com ela no Festival da MPB em 67, quando tocaram juntos "Domingo no Parque". Já, Caetano resumia o grupo assim: "Os Mutantes são demais!" E, eram mesmo...

Essa tietagem, no entanto, ia além. É de autoria de Caetano e Gil muitas músicas que fizeram parte do repertório d'Os Mutantes ao longo de sua carreira, como "Batmacumba", "Panis et Circenses" e "Baby". Como se vê, certos padrinhos valem o quanto pesam...




Passado o estardalhaço desse Festival de 67 e do sucesso do fabuloso primeiro disco, Os Mutantes lançaram outros dois excelentes álbuns até viajarem para a Europa em turnê. Lá, já pensavam em como conquistar o mercado internacional. Com essa visão, gravaram cinco músicas que deveriam sair num lançamento intitulado "Tecnicolor" (o que só aconteceu 29 anos depois, no ano de 2000!).

Como "Tecnicolor" não viu a luz do dia naquele momento, resolveram completar aquilo que seria o disco "Jardim Elétrico". E, esse é talvez o trabalho mais debochado do grupo, com músicas bastante "espirituosas", tais como "El Justiciero", "It's Very Nice pra Xuxu" e "Portugal de Navio". Cabe lembrar aqui uma inscrição abaixo da canção "Benvinda" que dizia: "Qualquer semelhança com Tim Maia é mera coincidência."




Inclusive, interessante notar como eles driblavam a censura apenas com a mudança de palavras. Em duas canções de "Jardim Elétrico", por exemplo, as letras faziam menção a palavrões, mas apenas sugeriam algo do tipo. Com certeza frases como "Eu quero que você se... top top!" ou "Vou te mandar... pra Portugal de navio!" devem ter deixado os censores de cabelo em pé!

Os Mutantes, porém, não eram somente bom humor. O som mesclava atualizações da bossa-nova ("Baby"), musicalidade latina ("El Justiciero"), sons vigorosos de rock'n roll ("Jardim Elétrico" e "Saravá"), além da já citada "homenagem" ao soul de Tim Maia. Destaques para a potente guitarra de Sérgio Dias e a alucinante bateria de Dinho Leme.




Não à toa, "Jardim Elétrico" está na lista dos 100 melhores discos da música brasileira de todos os tempos, ocupando a 72ª posição (muito justo!). Num período em que o rock brasileiro se limitava aos rapazes bem comportados da Jovem Guarda ou às viagens lisérgicas dos tropicalistas, Os Mutantes faziam uma música que não se enquadrava nesses rótulos; e, em mais nenhum, é bom dizer.

Esse álbum resume tudo o que a banda foi: escrachada, romântica, louca, frenética, genial. Um verdadeiro clássico, que precisa ser ouvido nesses tempos onde o rock brasileiro está padronizado, quase inofensivo.




Vida longa aos Mutantes!


NOTA: 9,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…