Pular para o conteúdo principal
DICA DE DISCO

"AVE SANGRIA" (1974)




Alguns trabalhos artísticos são reverenciados por anos, e, ainda hoje, continuam influentes. Por exemplo: às vezes, basta o lançamento de apenas um disco para transformar uma banda num mito. Com o Ave Sangria aconteceu exatamente isso.

Oriunda do Movimento "Udigrúdi", que misturava a cultura local com a psicodelia da época do Woodstock, o grupo teve carreira meteórica. Com certa dificuldade, gravou seu primeiro disco, mas sucumbiram pouco tempo depois.

No mesmo ano, fizeram o último histórico show, chamado "Perfumes e Baratchos", no Teatro de Santa Izabel, em duas noites com ingressos esgotados.




O próprio disco "Ave Sangria" divide opiniões até entre os ex-integrantes da banda, que não ficaram totalmente satisfeitos com o resultado. E, de fato, percebe-se que o ótimo potencial do grupo não foi devidamente explorado.

A sonoridade, especificamente, ficou menos pesada do que o esperado, parecendo um Quinteto Violado enveredando para o rock. Mesmo assim, toda a poesia a que se propunham está aqui, em letras muito "viajadas".

O disco começa calmo, quase progressivo, em "Dois Navegantes". A mesma toada é seguida pela música seguinte, "Lá Fora", só que esta com umas passagens um pouco mais aceleradas.




"Três Margaridas" tem um "quê" de Geraldo Azevedo e Alceu Valença das antigas. Umas das melhores canções do álbum vem a seguir, "O Pirata", com sua exuberante linha de guitarra, e uma ótima letra:

"NÃO SE ILUDA, MINHA CALMA NÃO TEM NADA A VER, SOU BANDIDO, SOU SEM ALMA E MINTO, MINHA CASA É O REINO DO MAL, O MEU PAI É UM ANIMAL, MINHA MÃE HÁ MUITO QUE ENLOUQUECEU."

"Momento na Praça" tem umas variações de sonoridades que, inclusive, lembram muito os Novos Baianos, da época do "Acabou Chorare". "Cidade Grande" é uma música que lembra muito Jethro Tull, pelo andamento tranquilo, com uma explosão no refrão.




É aí que surge um dos grandes momentos do disco: a irreverente "Seu Waldir". Com uma sonoridade calcada no samba-rock, o ritmo dela é contagiante.

Por sinal, a história oficial conta que essa faixa foi denunciada aos sensores do governo pela esposa do colunista social João Alberto, que se senti escandalizada pela explícita "apologia ao homossexualismo"!

"Hei Man" e "Por Que?", as canções seguintes, possuem corpo e espírito do Movimento Armorial, num clima que lembra muito nossa cultura de raiz. Chegam a ser quase bucólicas.
..



A partir daqui, as músicas começam a ficar mais pesadas tanto em sonoridade quanto em temática. A nervosa "Corpo em Chamas" é um rock'n roll que em algumas passagens nos remete ao T-REX. Eis um trecho dela:

"QUANDO EU BOTAR FOGO NA ROUPA, VOCÊ VAI SE ARREPENDER DO QUE ME FEZ, VOCÊ VAI VER MEU CORPO EM CHAMAS PELAS RIAS, E O POVO TODO HORRORIZADO."

Chegamos à melhor música do disco: "Geórgia, A Carniceira", que une uma sonoridade incrível com uma letra pra lá de psicodélica e tenebrosa. Duvidam? Então, vejam:

"GEÓRGIA, A CARNICEIRA DOS PÂNTANOS FRIOS, DAS NOITES DO DEUS SATÃ, JOGANDO BOLICHE COM AS CABELÇAS, DAS MOÇAS MORTAS DE CIO, NO LEVANTAR DAS MANHÃS DE ABRIL, SOLAR."




E, finalmente, o disco se encerra com a instrumental "Sob o Sol de Satã", que remete um pouco ao guitarrista Carlos Santana. Ótimo desfecho.

Só que, infelizmente, a banda só durou este álbum, Depois, cada um foi viver seu rumo, e só vieram a se reencontrarem como a Ave Sangria 40 anos após (em 2014!), para um show comemorativo no mesmo Teatro de Santa Izabel, de onde se despediram antes.

Nessa ocasião, não só relançaram o disco em vinil, como o lançaram, pela primeira vez, no formato inédito de CD. O show, como era de se esperar, teve os ingressos esgotados.

Prova de que a boa música persiste.


NOTA: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…