Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Filhos da Esperança" (2006)
Direção: Alfonso Cuarón.


Uma forte catarse social misturada a uma história distópica relevante aos nossos dias atuais. Se fosse para resumir "Filhos da Esperança" em apenas uma frase, esta seria boa, mas, mesmo assim, não daria a dimensão exata da força deste filme. Com os recentes atentados terrorista assombrando o "mundo civilizado" e uma política cada vez mais vergonhosa de demonização dos imigrantes, esta produção se torna ainda mais provocativa e urgente em seus múltiplos significados, e ainda assim, resultará ao espectador médio como um ótimo cinema.

Dirigido com maestria pelo cineasta mexicano Alfonso Cuarón, o mesmo que fez "O Prisioneiro de Azkaban", melhor filme da cinessérie Harry Potter, "Filhos da Esperança" mostra um futuro bastante devastado. Porém, não por causa de alguma espécie de apocalipse, mas, devido a algo inusitado: simplesmente, as mulheres no mundo foram, gradativamente, perdendo a fertilidade, e começaram a ter abortos espontâneos. Chegou um momento em que ninguém mais nasceu, com a pessoa mais jovem do mundo tendo 18 anos de idade. Em paralelo, os governos estão reprimindo com extrema violência qualquer forma de imigração, geralmente de refugiados, que, não raro, são tratados pior do que animais, sendo transportados em ônibus como prisioneiros, ou colocados em jaulas como num zoológico.




Nesse ambiente, vamos conhecendo, aos poucos, Theo, que aparenta ser um homem comum, caminhando por uma Londres metade arruinada pelos conflitos, e a outra metade possuidora de grande riqueza, aonde as elites vivem, longe dos conflitos urbanos. É nesse momento que temos umas das melhores sequências do filme, que é quando Theo visita um de seus conhecidos para lhe pedir um favor, e este é um rico colecionador de arte. Então, ele é questionado por guarda algo que, daqui a uns 100 anos, ninguém mais poderá apreciar, já que estarão todos mortos. E, esta clara crítica ao pedantismo e à futilidade das elites é apenas uma das várias provocações que vamos vendo ao longo da produção.

Ao mesmo tempo que Theo é contratado para um serviço a pedido de sua antiga companheira, acompanhamos como o mundo se tornou vil, desde um governo totalitário, que trata imigrantes e outros excluídos como lixo, até alguns revoltosos, que, em tese, deveriam ser melhores que os seus algozes, mas, mostram que, quando têm a oportunidade, são tão canalhas contra quem lutam. Na verdade, o único no filme que pode ser considerado um autêntico ativista é Theo e mais algumas pessoas que ele vai encontrando ao longo do caminho, numa jornada em que os personagens se mostram dispostos a morrerem por aquilo em que acreditam. Só não esperem pieguismo a partir disso. O roteiro, sabiamente, dribla essa possibilidade, e não exagera na dose ao expôr ideias nobres. Em produções menos inspiradas (como em vários blockbusters hollywoodianos), com certeza, isso serviria de desculpa para um patriotismo irritante. Felizmente, "Filhos da Esperança" está num nível bem acima.




Inclusive, o roteiro, nada óbvio, baseado no romance do escritor P. D. James, não utiliza esse suturo distópico e brutal apenas como pano de fundo para a jornada inglória de Theo, e, sim, como fatos em primeiro plano. Não esquecemos, em nenhum momento, que estamos vendo o fundo do poço da sociedade, a completa distorção das ideologias, e a triste punição a quem ainda tenta fazer algo diferente. Num mundo com esse tipo de devassidão moral, Theo é quase um herói à moda antiga, que mesmo tendo perdido sua fé na humanidade após a morte de seu filho, tenta buscar um objetivo, algo que possa fazer em prol daqueles que ele tentou ajudar quando foi ativista ferrenho um dia. 

A parte técnica do filme, por sinal, consegue dar uma grandiosidade magistral à produção. Com inacreditáveis planos sequência, principalmente, na parte final, "Filhos da Esperança" nos coloca no olho do furacão (e, isso não é só uma mera força de expressão). A câmara baixa de Cuarón, unida a cenas de ação impressionantes, mais as atuações primorosas de todos os atores (inclusive, os figurantes), coloca as cenas iniciais de "O Resgate do Soldado Ryan" no chinelo, por exemplo. Nesse momento, não há trégua. O filme vai numa crescente tensão, que acaba sendo até mais atordoante do que muitos documentários por aí, mostrando a preocupação de Cuarón em não querer glamourizar a guerra, e sim mostrar o que ela tem de mais violento e desumano. Tudo atrelado a uma impressionantes atuações, em especial de Clive Owen, que faz de seu Theo um personagem atormentado, mas que, ao longo da projeção, vamos gostando dele, e de seu, não tão explícito, senso de humanismo.





"Filhos da Esperança" não é um filme fácil, pois, a priori, parece ser mais uma dessas produções sobre um futuro pós-apocalíptico, que nada acrescentam ao gênero. Mas, com coragem e habilidade, ele prova que não somente é ótimo como cinema, como também consegue ser bastante crítico num tempo em que a maioria dos cineastas se mostram com medo de colocarem o dedo na ferida. Com temas que hoje são relevantes, e que, infelizmente, ainda devem ser por um bom tempo, esta é uma produção que necessita ser conhecida, até para mostrar que a sétima arte pode ter um discurso que faça a diferença, quando tem liberdade para isso.


Nota: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…