Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"A Vida de Brian" (1979)
Direção: Terry Jones.


Fazer rir com categoria é uma arte complicada, principalmente, em tempos aonde o mau gosto rende gargalhadas fáceis. Sob a desculpa do "politicamente incorreto", o humor de hoje, geralmente, é recheado de baixaria, que constrange mais do que faz uma graça genuína. Nesse sentido, tirando alguns dos melhores momentos de Woody Allen, talvez, os últimos grandes filmes de comédia tenham sido realizados pelo grupo inglês Monty Python. Isso porque a trupe não apenas encarnava aquele humor mais físico, mais performático, como também tinha ótimas críticas e provocações em suas anedotas. "A Vida de Brian" é o que, provavelmente, reúne o melhor dos dois mundos.

Indo do nonsense ao besteirol, passando por belas "alfinetas" em toda a sociedade, o filme não poupa ninguém. Mas, ninguém, mesmo! A história, relativamente simples, ao contar uma reinterpretação da Bíblia, tendo como protagonista o desafortunado Brian, confundido com o Messias, vai desenvolvendo muitas críticas, ao mesmo tempo que faz rir (e, muito). Longo nos minutos iniciais, assistimos a uma engraçadíssima paródia com a chegada dos Reis Magos, e sua confusão, em entregarem seus presentes ao filho de Deus "errado". Após isso, vamos acompanhando as desventuras de Brian, que, vivendo com uma mãe controladora, envolve-se em diversas estripulias, incluindo sua participação num grupo "terrorista" que luta contra os romanos.




Tudo no roteiro, claro, é uma bela desculpa para os malucões do Monty Python despejarem suas gags e destilarem seu veneno (principalmente, contra a religião). Em determinado momento, Brian, confundido com o Messias, diz a um povo atento que não precisam seguir ninguém, e que pensem por conta própria. Hilário e desconcertante, até mesmo se formos fazer um paralelo com muitos "pregadores" religiosos de hoje em dia. Também são interessantes os diálogos entre os membros do grupo revolucionário que planejam atacar os romanos, sempre discordando das coisas mais ridículas, e mais preocupados com os protocolos e as regras do que da ação em si (a arte imitando a vida?).

O roteiro esperto ainda abre espaço para diversas referências e "homenagens", sejam aos musicais, sejam às ficções científicas. Tudo, incrivelmente, "condizente" com a história absurda. Além disso, temos uma gama enorme de personagens secundários que roubam a cena. Como na gargalhar com um Pôncio Pilatos, e sua dificuldade de dicção? Ou então com o líder dos revoltosos, que quando está acudo é o mais covarde de todos? Ah, e ainda temos um senhor que é prisioneiro dos romanos, e que acha a crucificação uma "benção", coisa de gente sortuda.




Interessante notar que mesmo com um enredo que brinca o tempo todo com a religião (em especial, a cristã), o filme não se rende à agressões gratuitas e sem sentido. Ao contrário: apenas coloca o dedo na ferida da hipocrisia que sempre imperou na Igreja, e que, nos dias atuais, ainda é latente. Até mesmo os cristãos menos ortodoxos e mais de bem com a vida acharão graça nas situações mostradas aqui, inclusive, na sequência final, que mostra um alegre coro de crucificados! "Veja sempre o lado bom vida" virou, fácil, fácil, um clássico cult ao longo dos anos.

O único problema de "A Vida de Brian" é que algumas piadas, mesmo muito boas, alongam-se demais. Você até acha graça e ri muito no início, mas, depois, a catarse passa, e a cena continua, esvaziando um pouco o efeito anterior. Não se trata de um defeito recorrente, e sim, pontual, mas, tivessem evitado isso, o filme seria perfeito do começo até o final. Mesmo assim, o humor dos principais momentos prevalece, e o que fica é sensação de uma comédia inteligente e anarquista como poucas.





Não é exagero dizer que não se fazem mais comédias assim. Uma rápida passada nas produções recentes do gênero comprovará isso, com filmes que fazem de tudo, menos rir. E, não se trata de ser "moralista" ou "politicamente correto" (afinal, a trupe do Monty Python sempre foi bastante subversiva), mas, é de bom gosto. mesmo. Enquanto, a maioria das piadas de hoje são feitas da "cintura pra baixo", esse bando de doidos que realizaram "A Vida de Brian" eram comediantes com cérebro, e que respeitavam a inteligência de seus espectadores, custe o que custasse. De fato, não se faz mais humor assim.


Nota: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…