Pular para o conteúdo principal
DICA DE DISCO 

"SYSTEM OF A DOWN" (1998)




A alcunha de "new metal" foi amplamente usada como rótulo para bandas que faziam um som mais pesado no final dos anos 90 e início dos 2000. Ter guitarras distorcidas e vocais berrados, com algo de rap na entonação dos cantores, eram as prerrogativas. Devido a esse simplismo, podíamos encontrar grupos bastante díspares no mesmo saco, do Queens of the Stone Age ao Soulfly; do Korn ao System of a Down. Este, no entanto, tinha um diferencial além das guitarras distorcidas e dos vocais berrados: a riqueza rítmica. O dedilhado criativo feito por Daron Malakian e o canto exótico de Serj Tankian fizeram do System um grupo, no mínimo, curioso.




O primeiro disco deles, lançado em 1998, reúne todas essas características de forma marcante. Já começa com "Suite-Pee", e suas diversas mudanças de andamento. A música seguinte, "Know" vai na mesma linha, com ainda mais sotaque de Tankian, parecendo entoar cantigas árabes. "Sugar" é o primeiro single do álbum, e não se diferencia muito das outras; ou seja, é ótima, também. "Suggestions" vem depois, mostrando um inusitado swing e as habituais estripulias vocais de Tankian.




Já "Spiders" vem mostrar que a banda tem seu lado "operístico", numa quase balada. A melhor faixa do disco "War?", possui um impressionante ritmo, além de uma levada mais calma no meio dela, que explode no final. "Mind" e seus mais de 6 minutos dão uma derrapada na sequência avassaladora de canções quase perfeitas. Não é uma música ruim, mas parece estar deslocada, assim como "Cubert". Felizmente, o disco encerra com chave de ouro, nas músicas "Darts" e "P.L.U.C.K."; esta aqui, praticamente um resumo de todo o som do System of a Down, e que dá pistas de como seria o álbum seguinte, "Toxicity".




As letras também mostram uma bem-vinda revolta. "Suite-Pee", por exemplo, alfineta a religião: "Eu tive uma experiência fora do corpo / Outro dia / O nome dela era jesus! / E por ela todos choraram". Encontramos lirismo em "Spiders": "As aranhas todas afinadas / A noite da lua / Sonhos são feitos retorcidos pela minha cabeça". E, há a clara alusão aos conflitos armados em "War?": "Segurança Internacional / O chamado homem certo / Precisa de uma razão pra matar alguém / A história nos ensina assim".




Esse não é o melhor trabalho do System (posto que cabe a "Toxicty"), nem se tornou tão popular quanto a dobradinha "Mesmerize/Hypnotize". Mas, é um disco bastante honesto de uma banda talentosa, e que, merecidamente, iria colher os frutos disso num futuro próximo. Uma pequena obra-prima do peso moderno, sem dúvida.


NOTA: 8,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…