Pular para o conteúdo principal
DICA DE FILME

"A PEDRA DA PACIÊNCIA" (2012)
Direção: Atiq Rahimi.


O cinema com enfoque no Oriente Médio tem nos proporcionado boas surpresas no decorrer dos anos. Já tivemos desde a simplicidade de "A Maçã" até a intensidade de "A Separação". O que todos têm em comum é que não vemos neles arquétipos sociais do lugares que retratam, mas, simplesmente, pessoas comuns tentando levar suas vidas. Essa universalidade de temas é que faz toda a diferença e ainda quebra alguns preconceitos.

"A Pedra da Paciência" vai mais ou menos pelo mesmo caminho. Mais ou menos porque, a cada momento, temos a nítida sensação de onde estamos: num lugar e numa cultura realmente opressoras, cuja guerra faz parte do cotidiano dos que vivem ali. Em especial, vamos encontrar a figura da mulher reprimida, não só pelo contexto político, mas também, e, principalmente, religioso.



O filme também é universal ao expôr a ânsia de sua personagem principal pela liberdade. Algo que pode ser encontrado tanto nas mais liberais democracias ou nas mais pesadas ditaduras. Esse desejo por liberdade começa a aflorar na personagem quando seu marido leva um tiro, e, em decorrência disso, perde todos os movimentos do corpo. Agora, ela cuida dele sozinha.

Porém, o que era para ser sua ruína, acaba por ser a sua salvação, ou, pelo menos, a sua válvula de escape. Sempre tendo tido o marido como um mero estranho, no momento em que este fica inválido, ele passa a ser um "ouvinte" das mais íntimas confidências dela. Confidências, essas, que ela nunca teve coragem de expôr a ninguém. Eis aí o começo de sua liberdade.


O que mais chama a atenção no filme é o seu enfoque. Mesmo apresentando um ambiente tão opressor para a mulher, a personagem nunca é retratada como um pobre coitada, ou como uma brava lutadora que irá ter uma redenção no final. Não! Ela é vista como um ser humano, apenas, cheio de desejos, e que vê numa situação difícil a chance de se desprender de diversas amarras.

Ela não é uma heroína, e nem precisa ser. Suas atitudes, muito provavelmente, nós também faríamos, caso estivéssemos na mesma situação. Isso faz com que nada soe forçado aqui, mesmo que sejamos sempre lembrados de que estamos num ambiente em constante conflito, seja ele bélico ou cultural.


O diretor de "A Pedra da Paciência", incrivelmente, é homem. Trata-se de Atiq Rahimi. Incrível porque ele tinha tudo para transformar o filme num drama forçado, onde a personagem é uma eterna mártir sofredora. Mas, ele teve a sensibilidade de ir libertando ela, pouco a pouco, e mudando suas concepções de mundo (ela chega, inclusive, a questionar o Alcorão).

A liberdade, o amor e a compaixão são essenciais a todos nós. E, a personagem desse filme, ao descobrir esses sentimentos, até então adormecidos, agarra-se com todas as forças a isso. É o seu renascimento; uma nova vida.

Trata-se, pois, de um filme delicado e muito bem realizado, cujo tema não dá margem a preconceitos nem a sofrimentos desnecessários. É apenas A nossa humanidade à flor da pele, querendo sair.


NOTA: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…