Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Angel-A" (2005)
Direção: Luc Besson


O cineasta Luc Besson já é velho conhecido do grande público por seu jeito de fazer cinema ultra-estiloso (vide "O Profissional", "O Quinto Elemento" e, mais recentemente, "Lucy"). Mesmo com esses filmes tocando em assuntos interessantes, não deixam de ser um tanto superficiais e caricatos em demasia, servido como deslumbre visual, mas, de pouco conteúdo. Nesse contexto, "Angel-A" é uma espécie de "patinho feio" na filmografia de Besson, justamente, por conseguir equilibrar muito bem uma técnica apurada, com sub-textos muito pertinentes e mostrados de forma bem reflexiva.

De cara, acompanhamos André, um pobre diabo que vive endividado e sob constante ameaça de criminosos. É espancado, mal-tratado e humilhado constantemente. Não vê sentido na vida. Acha-se um lixo em forma de gente. Não demora muito para que ele tente se matar, mas, é aí que sua vida também muda. Conhecendo Ângela, que também tenta se suicidar, ambos acabam virando um casal improvável, aonde ela será meio que o "anjo da guarda" dele, ajudando-o com suas dívidas, e, principalmente, dando a ele a auto-estima necessária para voltar a se sentir vivo.




Há diretores que fazem de tudo para que não esqueçamos que são eles por detrás das câmeras, e Besson é um deles. Sua identidade como cineasta fica evidente a cada cena, a cada diálogo, a cada jogo narrativo. E, isso é bom, pois seu estilo peculiar ajuda a deixar o resultado melhor do que ficaria nas mãos de outro diretor. Apesar de alguns arroubos visuais bem típicos, Besson ainda se mostra um bom contador de histórias, colocando drama onde tem que colocar, e comédia onde é preciso que tenha humor. Há até pausas na câmera, com longos planos-sequência muito bonitos e  criativos.

As mensagens do roteiro, que giram em torno de uma sociedade mais e mais individualista, na qual o indivíduo vai perdendo a sua identidade, são muito boas, e contadas do jeito certo. A porta-voz dessas verdades é Ângela, e, pelo estilo ágil da narrativa, não há tempo para algo panfletário. Todos os discursos são claros e diretos, e, mesmo sem muita profundidade, fazem pensar (algo que os blockbusters hollwoodianos há muito tempo não fazem). André, de alguma maneira, somos nós mesmos, perdidos num ambiente mesquinho, sem nos darmos conta de nosso valor. Nesse sentido, Ângela também serve como uma espécie de "consciência", dizendo o que precisa ser dito.




A maravilhosa fotografia em preto e branco dá uma aura ainda mais cool ao filme, inclusive, até pelo tema similar, remetendo ao grande clássico de Win Wenders, "Asas do Desejo". A comparação não é tão descabida, e mesmo a produção de Besson não sendo tão sutil em relação a do cineasta alemão, ele consegue passar a mesma essência e as mesmas inquietudes dos personagens (só que num tempo com ares mais modernos). E, até a curta duração de "Angel-A" facilita o espectador não ficar entediado, e ainda absorver bem cada detalhe da trama.

O pecado da produção, porém, está em seu final. Apelando para uma conclusão um tanto quanto piegas (mas, que não deixa de ser emocionante), ele "quase" se trai ao enfraquecer a personalidade de uma personagem tão forte quanto Ângela. Aí, entram umas certas obviedades e uma forçadas no roteiro que poderiam ser muito bem evitadas. Mas, conta a favor do filme a ótima dupla de atores, formada por Jamel Debbouze (que interpretou um dos personagens mais cativantes de "Amélie Polain") e Rie Rasmussen. Enquanto um consegue passar toda a tristeza de alguém perdido no mundo, a outra mostra muita determinação em sua atuação, entregando uma performance digna de nota.




Mesmo com um desfecho que poderia ter sido melhor trabalhado, "Angel-A" ainda consegue ser um baita filme. Apesar de seu verniz pop, entrega boas reflexões a respeito de nossa condição humana, e, sem ser moralista, carrega uma bem-vinda denotação do que é certo e do que é errado. Uma produção, sim, inusitada, aonde, talvez, poucos embarquem na ideia mirabolante do roteiro. Mas, cinema é isso mesmo: a realidade travestida com as mais loucas fantasias. Provavelmente, tenhamos nos esquecido disso.


Nota: 8/10

Classificação etária:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…