Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Crash - Estranhos Prazeres" (1996)
Direção: David Cronenberg.


O desejo sexual, reprimido ou não, numa sociedade em constante estado de deterioração. Só esta premissa já dá argumentos pra estórias bastante interessantes. No caso do escritor J. G. Ballard, serviu como base para criar um livro, onde encontramos uma metáfora em que o prazer está intimamente ligado à dor e ao sofrimento. Para ilustrar isso, pessoas que sentem prazer ao se envolverem em acidentes de carro. Serviu como uma luva para um cineasta como Cronenberg.

Mas, apesar do enredo forte e denso, esperem nada de tão grotesco assim. Sim, estamos falando de um diretor que causou repulsa com produções como "Videodrome" e "A Mosca". Mas, a violência aqui não é tão explícita quanto se faz supor. Ao contrário; ele é até bem comedida. O que são claras e muito bem filmadas são as cenas de sexo, porém, sem serem, necessariamente, explícitas. Isso faz com que tudo fique suspenso dando até uma aura de mistério ao filme.




Tanto é, que fica difícil classificar "Crash" num drama, numa fantasia ou mesmo num estilo noir. A trilha sonora, simples, suave, bem anos 80, dá esse aspecto cult à produção sem soar pedante. Cronenberg filma tudo com calma, sem pressa de mostrar os acontecimentos. Personagens como James e sua esposa Catherine, por exemplo, vão sendo desenvolvidos aos poucos. Descobrimos, os seus gostos por jogos sexuais, e o envolvimento deles com com pessoas que irão mudar o rumo desses jogos.

É com a entrada em cena de Vaughan, no entanto, que a trama ganha corpo. Com ele, James descobre os prazeres dos acidentes automobilísticos, e sua intrínseca relação com o sexo (pelo menos, na concepção de Vaughan, claro). É, então, que o enredo vai se desenrolando numa espiral de insanidade que não sabemos qual será, mesmo, o destino dos personagens, principalmente, de James, já que, cada vez mais, ele quer ultrapassar seus limites.




Nas mãos de outro diretor, "Crash" seria um filme apenas vulgar e apelativo. Só que Cronenberg conseguiu realizar um trabalho que incomoda bastante, mas, que não choca pela gratuidade das cenas. Isso porque o que está em jogo aqui não são as sequências de sexo ou de acidentes, mas sim, compreender o íntimos dos personagens, suas motivações, suas loucuras, suas taras. Pode parecer incrível, mas, o filme é mais intimista do que parece.

James Spader e Deborah Kara Unger desempenham muito bem os seus papéis como o casal de protagonistas. Outro que se sai muito bem em termos de atuações é Elias Koteas, como o louco Vaughan. A sequência em que ele demonstra como teria sido o acidente que vitimou James Dean, para uma atenta platéia, é ótima, e dá muito bem a dimensão de um personagem que, geralmente, rouba a cena quando aparece.




E, o próprio Cronenberg dirige tudo com muita competência. Sem os exageros que, por sinal, fizeram de seus filmes recentes experiências sofríveis. Cabe indagar o que teria, então, acontecido com o cineasta nos últimos anos. Em maior ou menor grau, sempre fez ótimas produções, mas, ultimamente, perdeu a mão feio. Precisa, urgentemente, voltar à velha forma, e brindar o seu público com filmes bem acabados como este "Crash".


Nota: 8,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…