Pular para o conteúdo principal
POR UM 2015 MAIS HUMANISTA




2014 foi difícil. Uma ano de revelações, de tomadas de postura, onde mostramos que tipo de povo nós somos. Carregado, este ano que termina foi, infelizmente, de muito ódio, rancor, brigas, intolerâncias.

Já começou com o caso daquele menino que foi amarrado ao poste no RJ. Uma mulher se indigna com isso, tira fotos e protesta nas redes sociais. Só faltou ser morta, pois, de ameaças, sua vida ficou lotada. Afinal, bandido bom é bandido morto, e quem tem pena, que leve pra casa! Até jornalistas se mostraram a favor do linchamento, ou pelo menos, tentando justificá-lo. Esses mesmos se calaram quando uma dona de casa foi morta por ter sido confundida com uma sequestradora de crianças. Remorso, não foi. Talvez o silêncio tenha sido estratégico.


A barbárie como válvula de escape.


Chega a famigerada Copa do Mundo, e os nossos problemas acabaram. Mesmo com as vaias à presidente Dilma, todos se mostraram satisfeitos. Não importa que muitos operários tenham morrido na construção dos estádios; de pouco vale o fato de termos gasto bilhões da iniciativa pública para a realização do evento; estádios parados após a Copa, em todo o esplendor de um elefante branco, ficaram até agrdáveis aos nossos olhos; e os protestos nas ruas não ocorreram como o prometido. Tudo veio abaixo com o 7 X 1. Ficamos indignados pelos motivos errados, e ainda gostamos de termos realizado a "Copa das Copas".


Poucos perceberam que a Copa, em linhas gerias, foi um fiasco.


Eleições são um exercício pedante de ideologias que se completam. Dilma, Aécio e Marina fingiram que estavam em oposição, e não percebemos a coerência advinda de uma Luciana Genro ou de um Eduardo Jorge. Petrolão pra cá, Petrolão pra lá, a imprensa comprada (como sempre) e o mais do mesmo vence. Mediocridade nas urnas, tivemos que escolher (mais uma vez) o menos pior. E, tome-lhe ódio pra cima, principalmente a nós, nordestinos, acusados de ignorantes por termos reelegido Dilma (o que, na verdade, configura uma mentira, pois em números absolutos, Dilma teve mais votos no Sul-Sudeste). Mesmo bovinos, sobrevivemos.


Dilma e Aécio: nem tão inimigos assim...


Dado preocupante nessas eleições foi nosso retrocesso. Não, não demos nenhuma guinada à Direita. Apenas, boa parte saiu do armário, e, num arroubo de individualismo e má-fé, começaram a discursar os maiores absurdos. Os porta-vozes? Os de sempre: Bolsonaro, Feliciano, Malafaia, Roger, Constantino, Reinaldo... Nada de novo no front. Apenas as minorias sendo achincalhadas e pulhas aos montes sendo os mais votados em nome da moral e dos bons costumes. Triste e perversos trópicos.


Bolsonaro e Feliciano: duas figuras que nunca deveriam ter merecido destaque em 2014.


Chegamos ao fim de 2014, portanto, cansados. Lutas inglórias, má vontade de nossos amigos e parentes, um egoismo generalizado pairando no ar. A expressão "farinha pouca, meu pirão primeiro" nunca fez tanto sentido. Por isso, não precisamos de mais religião (já temos demais por aí, e ela não resolve nada), nem de tanta política (pois, é subir ao poder, já sabemos o que acontece). Precisamos é de mais humanismo, pois assim veremos os nossos diferentes e não os nossos iguais. Enxergaremos as coisas com menos ódio e preconceito, e o diálogo será mais proveitoso, sem dúvida.




Utopia? Talvez nem tanto. Com esforço, provavelmente, algum resultado virá.

Um feliz 2015 (MAIS HUMANO, E MENOS EGOCÊNTRICO).


Erick Silva
30/12/2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…