Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015
DICA DE FILME

"Tangerinas" (2013)
Direção: Zaza Urushadze


"Haveria algum sentido na guerra?"

Uma indagação não tão fácil de responder, mas que o excelente filme "Tangerinas" consegue dar eficazes argumentos para podermos, quem sabe, acharmos alguma resposta a isso.

Ivo, por exemplo, um velho carpinteiro que mora numa aldeia abandonada na Estônia, aparenta saber muito bem as consequências da guerra. Devido uma (mais especificamente, a Guerra na Abcásia, ocorrida em 1992), seu filho morreu e todos no vilarejo onde ele reside se foram, menos um de seus amigos: Margus.

Este se recusa a sair para poder colher as tangerinas do local. Ivo o ajuda, meio a contragosto, pois não queria tanto estar aí, mas, em consideração ao amigo, que vê na colheita dessas tangerinas uma forma de preservar alguma tradição em meio o horror de um conflito, ele fica.



Surge, então, na vida deles, mais dois personagens: Ahmed e Niko. Ambos são mercenários e lutam de lados opostos nessa gu…
DICA DE FILME

"A Dança da Realidade" (2013)
DIREÇÃO: Alejandro Jodorowsky.


O cinema, em si, é simbólico por natureza. Falar de assuntos através de imagens e palavras que, aparentemente, falam de outra coisa sempre foi o mote da sétima arte. Porém, alguns filmes vão além e fazem do simbolismo a sua principal estrutura, seja ela estética ou ideológica.

"A Dança da Realidade", uma das melhores produções dos últimos tempos, vai exatamente por esse caminho e, justamente por isso, transforma-se numa experiência fascinante de se assistir. Com suas sequências, à primeira vista, desconexas, ele consegue uma ótima unidade para falar do valor da liberdade e criticar toda a forma de tirania.



O núcleo familiar do filme é bastante peculiar. Formado por um garoto tímido, com sua mãe que canta em tenor toda vez que fala e com um pai autoritário que é a cópia fiel de Stálin, esse improvável trio vive numa pequena cidade do Chile, sitiada por tropas de um regime ditatorial.

Pelas ruas…
DICA DE FILME

"O Garoto" (1922)
DIREÇÃO: Charles Chaplin


Dizer que Chaplin foi um gênio do cinema pode ser redundante, mas se faz necessário. Revisitar os clássicos sempre dá vigor e ânimo a uma arte, mesmo que, atualmente, ele tenha um certo desgaste, como a sétima arte.

Em "O Garoto", ainda em sua fase muda, Chaplin está, em essência, simples e ingênuo. Não que nunca tenha abandonado essas características, mas em filmes posteriores a este, ele adicionaria bastante maturidade à sua obra, seja pela mordaz crítica em "Tempos Modernos", ou a melancolia latente de "Luzes da Ribalta".



Aqui, não. Temos o famoso vagabundo Carlitos com seus trejeitos usuais, suas formas simples (porém, autênticas) de fazer piada, e sua grande preocupação com humano. Alguém com uma certa dos de malandragem, sim, mas cuja bondade é notória e tocante.

É esse caráter que o faz cuidar de um órfão, deixado à sua porta, e que o cria como se fosse seu filho. O desenrolar do film…
DICA DE DOCUMENTÁRIO

"Estamira" (2004)
DIREÇÃO: Marcos Prado



A sabedoria é para poucos; muito poucos. Porém, ela cobra seu preço: um preço, muitas vezes, condicionado à falta de adequação social, seja isso através de uma (aparente) insanidade mental ou na recusa em se aceitar um Deus todo-poderoso imposto goela abaixo.

Estamira, vivendo num lixão, e com uma visão toda peculiar da vida, não se sente inserida nesses contextos de normalidade. Ela é sábia, sim, mas precisou conhecer o animal humano para adquirir tal conhecimento. Praticamente, ninguém a entende e ela vive em seu mundo; um mundo onde reina a verdade.


A nada ela se submete, a nada ela se curva. Entre frases desconexas e pontos inquietantes ("Você não vai à escola para aprender; vai para copiar! Copiar as hipocrisias e as mentiras!"), Estamira tem o que podemos chamar de liberdade.

No entanto, sua vida pessoal foi cheia de percalços: o enlouquecimento da mãe, as humilhações do marido, a incompreensão dos fi…
DICA DE FILME

"Gladiador" (2000)
DIREÇÃO: Ridley Scott


Estórias de superação podem ser contadas de diversas maneiras. Uma das formas mais interessantes é quando essa superação vem como pretexto para mostrar diversos outros significados, alguns, inclusive, bastante atuais. "Gladiador", dirigido pelo quase sempre morno Ridley Scott, é um exemplo perfeito disso.

À primeira vista, o filme conta a luta do general Maximus, que se torna Gladiador após ter tido sua família assassinada por Comodus, filho do imperador romano Marcus Aurélius. Comodus mata o próprio pai para tirar-lhe o trono, e Maximus, um dos servos mais leais de Marcus Aurélius torna-se um incômodo para o déspota.



Regressando a Roma como gladiador, Maximus desafia o poder do atual imperador num jogo político que nem ele mesmo entende, mas que pode suscitar desdobramentos inesperados numa Roma imersa no caos social. Basta lembrar que os jogos ocorridos no Coliseu eram feitos para distrair o povo (o famoso &quo…