Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Shortbus" (2005)
Direção: John Cameron Mitchell.


As necessidades humanas; tão frágeis e tão desconcertantes, que buscamos por elas com frequência. Pode parecer vaidade, mas, é só carência. Pode ser extravagância, porém, acaba sendo a busca por um sentido real da vida. A corrida pelo prazer, a obrigatoriedade do carnal, das paixões, cada vez precisando ser mais profundas, mais sinceras, mais espontâneas. Em linhas gerais, é mais ou menos disso que trata "Shortbus".

Engana-se quem pensa que se trata de um filme erótico, ou uma mera comédia. Mas, não se culpem; ele foi vendido assim, e justamente por isso, foi um pouco mal-interpretado quando estreou nos cinemas. Só que essa confusão parece ter sido proposital. O diretor (e, também roteirista) John Cameron embalou reflexões bastante dolorosas em cenas leves, despojadas. Durante uma "brincadeira", por exemplo, um dos personagens diz: "Com 11 anos, eu escrevia um diário, e hoje me pego desejando as mesmas coisas dessa época."




Não há um protagonista aqui. Talvez a que mais se aproxima dessa definição seja Sofia, uma terapeuta de casais, com dificuldades de conseguir um orgasmo. Ao redor dela, transitam pessoas como James e Jamie, dois homens que estão enfrentando um crise no relacionamento, principalmente, devido à depressão de um deles. Há ainda Severin, uma dominatrix que tentar ajudar Sofia, mas também possui seus problemas existenciais.

Eles, e tantos outros, encontram-se no Shortbus, um clube no "inferninho" de Nova York que recebe com alegria todos aqueles que são rejeitados pela sociedade. Lá, tentam se enturmar, procurar seus nichos, grupos do qual se sintam bem. Falam de suas angústias, sofrimentos e decepções. E, transam (muito). Como uma válvula de escape, sem pudores, preconceitos ou qualquer tipo de amarra, sentem-se um pouco livres por compartilharem momentos tão íntimos.




Essas cenas, mesmo explícitas, por incrível que pareça, não são apelativas. É como um "Azul é a Cor Mias Quente" mais diversificado, digamos assim. As cenas de maior empatia sexual se dão entre James, Jamie e um novo parceiro que conheceram no clube, Ceth. Ajudou muito o diretor ter usado atores amadores para o filme, que ele escolheu numa seleção de vídeos, onde cada um descrevia uma experiência sexual importante que tiveram.

A trilha sonora, um indie do "bem", é quase um personagem à parte. Traduz com naturalidade o estado de espírito de cada um, e transmite uma boa mensagem de harmonia; ao final, o objetivo principal de "Shortbus" (tanto o clube, quanto o filme, diga-se). E, as estórias individuais, mesmo parecendo diferentes entre si, completam-se num mosaico de diversidades, onde se mostra o quanto as pessoas são frágeis, contudo, persistentes.




Pode até ser considerado um filme fácil de assistir (mesmo depois do espectador ser surpreendido com "alfinetadas" sobre a vida), porém, com certeza, não é uma produção simplista. Fala mais do que se percebe; estimula mais do que aparenta. Uma pequena pérola do cinema independente recente que, de fato, instiga e é bem interessante.



NOTA: 8,5/10. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Filme Mais ou Menos Recomendável

"Mulher Maravilha"
2017
Direção: Patty Jenkins


MAIS UM FILME DE SUPER-HERÓI GENÉRICO, "MULHER MARAVILHA" PECA, IRONICAMENTE, POR TER UM SUB-TEXTO MACHISTA EM SUAS ENTRELINHAS
Estamos diante de mais um filme de super-heróis, mais um do universo expandido da DC Comics no cinema, mais um com a enorme responsabilidade de entregar um material minimamente interessante, ao contrários dos pífios "Batman vs Superman" e "Esquadrão Suicida", sem dúvida, os dois piores filmes do gênero desses últimos anos, ao lado de "Quarteto Fantástico". Ou seja, "Mulher Maravilha" chega com uma tremenda carga a ser superada. A pergunta é: conseguiu cumprir a sua missão? Bem, digamos que sim e não. Ao mesmo tempo em que o filme acerta em alguns pontos que ficaram devendo em produções anteriores, ele também erra ao repetir alguns dos erros mais corriqueiros de longas do gênero, com um agravante que pode até causar certa polê…