Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Match Point" (2005)
Direção: Woody Allen.


No tênis, "match point" é aquele ponto decisivo, o que encerra um jogo. Já, o cineasta Woody Allen usou essa expressão para compor um filme cheio de significados e nuances, por sinal, num estilo bem diferente do que habitualmente vemos em seus filmes. Primeiramente, esqueça a comédia. Aqui não há um motivo sequer para sorrir, a não ser que seja aquele sorriso amarelo, forçado, nervoso. Também não há, necessariamente, personagens paranoicos na trama; apenas pessoas desiludidas se envolvendo com outras numa "aparência" social de normalidade.

Nesse contexto, temos um tenista profissional, Chris Wilton, que, cansado da carreira, vai dar aulas num clube de elite. É nesse lugar que ele começa a almejar um certo estilo de vida, querendo fazer parte da alta roda da sociedade. Como ele mesmo sempre diz, "o que vale mais para você conseguir as coisas na vida é a sorte, e não a bondade." Acaba conhecendo Tom Hewett, tornado-se seu amigo por conveniência. É então que Chris conhece Chloe, a irmã de Tom, por quem começa a ter um relacionamento. As coisas começam a sair dos eixos quando Chris conhece Nola, a cobiçada namorada de seu amigo. A partir daí, passa a nutrir uma paixão que colocará em risco seus planos de ascensão social.




É bom salientar que para captar algumas das melhores mensagens do filme, seria bom ter uma certa "bagagem", em especial, da obra do escritor russo Fiódor Dostoiévski, mais precisamente, do livro "Crime e Castigo". E, aqui, de fato, Allen está em "casa", pois, sempre foi um grande apreciador da literatura de Dostoiévski. Tanto é que o protagonista aparece lendo dois livros do escritos. Mas, as referências vão além dessa sequência óbvia. O escritor russo tinha um sentido de humanidade muito grande, e repudiava toda e qualquer hipocrisia social. Hipocrisia que está presente em "Match Point" através da família de Tom e Chloe, mais especificamente, da mãe destes, que impõe que eles façam um "bom casamento".

E, como já foi dito, aqui não há comédia. Allen percebeu muito bem que o material que tinha escrito era denso demais para fazer humor, e optou por um drama, o que fez com que, ironicamente, realizasse um de seus melhores filmes. Não faltam, no entanto, as costumeiras reflexões do cineasta sobre a vida, naqueles momentos em que os personagens parecem "parar" a cena para nos dizer algo. Não obstante, todos os personagens passam por alguma forma de conflito. O principal é Chris, que é ambicioso, mas, sente-se infeliz por ter que viver uma vida "comum" de homem casado, com bom emprego. Já, Nola, sua grande paixão, tenta ser atriz, mas, não consegue resultado algum, sendo, obviamente, hostilizada pela sogra, que deseja alguém mais bem estruturado para o filho.




Não se enganem. Nada disso é mostrado de maneira forçada e piegas. Woody Allen não só compôs um texto formidável, como também o conduziu de maneira sóbria, coesa, mas, acima de tudo, envolvente. Belos ares fez a Europa ao baixinho neurótico! Mesmo um inevitável envolvimento entre Chris e Nola não descamba para a baixaria, ou para lugares-comuns. E, com o passar do tempo, tenha certeza: passaremos a ter mais raiva de um, e mais piedade de outro. Por vezes, até mesmo alguns sentimentos irão se confundir. Mas, é proposital para a trata. Afinal, não à toa, Allen é grande admirador de Dostoiévski, e, em linhas gerais, o escritor russo está muito presente na história de encontros e desencontros de "Match Point".

Em determinados momentos, tudo dá a entender que os personagens terão redenção. Mas, será que a merecem? Será que vale a pena arriscar uma vida de conforto em nome de aventuras, em nome de impulsos? Ou será que o problema está na monotonia do cotidiano, que tira nossa vida aos poucos? Até aonde a ambição pode chegar num ambiente assim? Para se atingir objetivos, inocentes precisam pagar? São todas indagações um tanto pesadas, e que mesmo sendo abordadas num drama, Allen consegue, com soberba simplicidade, fazer-se entender, construindo um enredo, em vários aspectos, muito triste.





Falar das atuações num filme de Woody Allen, quase sempre, é chover no molhado. São, na maioria das vezes, acima da média, e aqui não é diferente. Destaque para Jonathan Rhys Meyers, que faz um introspectivo e frio Chris, e Scarlett Johansson, que interpreta uma aventureira e determinada Nola. Porém, todos, sem exceção, entregam atuações muito convincentes e naturais, deixando o filme ainda mais interessante do que já é. E, a trilha sonora também é outro destaque, sendo exclusivamente calcada na ópera, em contrapartida ao costumeiro jazz que geralmente escutamos nas produções de Allen. Uma decisão acertada, já que a intensidade da música clássica combina bem mais com o drama exposto aqui.

O que temos, em suma, é um filme que vai além do mero cinema, com inúmeras possibilidades em outras áreas (a literatura, principalmente), e cuja história é uma das mais tristemente humanas que o diretor já fez. Um longa atípico em sua filmografia, é verdade, porém, que mostra que, pelos menos, na sétima arte, Woody Allen é um mestre, e que, a qualquer momento, pode nos surpreender com tramas muito bem boladas. Uma aula de cinema como poucas.

Link para o filme legendado:
http://www.cinemainterativo.com/legendado/assistir-ponto-final-match-point-legendado-online/


Nota: 9,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…