Pular para o conteúdo principal
DICA DE FILME

"A OUTRA HISTÓRIA AMERICANA" (1998)
Direção: Tony Kaye.


Preconceito, discriminação, intolerância. Em maior ou menor grau, isso sempre esteve presente em nossa sociedade. O problema é que existe uma nova onda tentando legitimar essas atitudes, seja pela desculpa da "liberdade religiosa" ou "de expressão". Portanto, um filme com o poder de "A Outra História Americana" torna-se essencial.

Seu contexto de violência não está longe da realidade. Ao contrário. Vemos como alguns praticam agressões gratuitas baseadas em certas ideologias, e uma grande parcela é conivente com isso. Tão conivente quanto os parentes e amigos de Derek, quem não percebem (ou não querem perceber) o quanto sua ideologia irá destruí-lo.



Derek é o típico skinhead metido a machão, de pavio curto e que acha suas ideias as melhores do mundo. Para piorar, em seu universo gravitam alguns amigos que partilham de suas opiniões, pais omissos e um irmão mais novo que vai, gradativamente, espelhando-se nele como exemplo.

Um belo dia, ele mata um rapaz negro que assaltou seu carro, e ele vai parar na cadeia. Lá dentro passa por um choque de realidade: muitos brancos neonazistas abusam dele (inclusive, sexualmente), enquanto um negro é quem lhe dá apoio e ajuda.


Ao sair da prisão, porém, descobre que seu irmão não apenas está seguindo os mesmos passos que ele, como também periga se tornar uma pessoa ainda mais intolerante do que ele foi um dia.

Os momentos de Derek em família e na prisão são vistos em preto-e-branco, como se fossem flashbacks. Inclusive, é num jantar com os seus familiares que ele expõe seu pensamento, numa das melhores cenas do filme. Um exemplo prático de que se deixarmos alguém preconceituoso evoluir sua linha de raciocínio isso pode desembocar em algo terrível.


As sequências em que Derek mata o jovem negro e do estupro sofrido por ele na cadeia estão entre as mais brutais e realistas vistas no cinema recente. Distante de serem apelativas, mostram o preço que alguns pagam por usarem da agressividade como filosofia de vida. Por sinal, o desfecho da produção evidencia muito bem essa mensagem.

Desnecessário dizer que Edward Norton e Edward Furlong estão monstruosos em seus papéis, passando toda a carga dramática necessária numa situação que é quase irreversível. Com um único olhar ou gesto, ambos dizem mais do que quaisquer palavras.


Mas, não se enganem: as palavras têm muita importância em "A Outra História Americana". Expõem de forma clara o poder nefasto de uma má influência (principalmente, em família), e colocam em xeque muitos preconceitos, por mais explícitos ou velados que sejam.

Este é um filme que mostra o quanto as pessoas são iguais, independente da cor da pele ou de qualquer outra característica. Mostra que as aparências são meros revestimentos, muitas vezes, de proteção. Mostra, enfim, o quanto é estúpido todo tipo de intolerância ou discriminação.


Nada mais necessário e urgente do que isso, não?


NOTA: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…