Pular para o conteúdo principal
DICA DE FILME

"A OUTRA HISTÓRIA AMERICANA" (1998)
Direção: Tony Kaye.


Preconceito, discriminação, intolerância. Em maior ou menor grau, isso sempre esteve presente em nossa sociedade. O problema é que existe uma nova onda tentando legitimar essas atitudes, seja pela desculpa da "liberdade religiosa" ou "de expressão". Portanto, um filme com o poder de "A Outra História Americana" torna-se essencial.

Seu contexto de violência não está longe da realidade. Ao contrário. Vemos como alguns praticam agressões gratuitas baseadas em certas ideologias, e uma grande parcela é conivente com isso. Tão conivente quanto os parentes e amigos de Derek, quem não percebem (ou não querem perceber) o quanto sua ideologia irá destruí-lo.



Derek é o típico skinhead metido a machão, de pavio curto e que acha suas ideias as melhores do mundo. Para piorar, em seu universo gravitam alguns amigos que partilham de suas opiniões, pais omissos e um irmão mais novo que vai, gradativamente, espelhando-se nele como exemplo.

Um belo dia, ele mata um rapaz negro que assaltou seu carro, e ele vai parar na cadeia. Lá dentro passa por um choque de realidade: muitos brancos neonazistas abusam dele (inclusive, sexualmente), enquanto um negro é quem lhe dá apoio e ajuda.


Ao sair da prisão, porém, descobre que seu irmão não apenas está seguindo os mesmos passos que ele, como também periga se tornar uma pessoa ainda mais intolerante do que ele foi um dia.

Os momentos de Derek em família e na prisão são vistos em preto-e-branco, como se fossem flashbacks. Inclusive, é num jantar com os seus familiares que ele expõe seu pensamento, numa das melhores cenas do filme. Um exemplo prático de que se deixarmos alguém preconceituoso evoluir sua linha de raciocínio isso pode desembocar em algo terrível.


As sequências em que Derek mata o jovem negro e do estupro sofrido por ele na cadeia estão entre as mais brutais e realistas vistas no cinema recente. Distante de serem apelativas, mostram o preço que alguns pagam por usarem da agressividade como filosofia de vida. Por sinal, o desfecho da produção evidencia muito bem essa mensagem.

Desnecessário dizer que Edward Norton e Edward Furlong estão monstruosos em seus papéis, passando toda a carga dramática necessária numa situação que é quase irreversível. Com um único olhar ou gesto, ambos dizem mais do que quaisquer palavras.


Mas, não se enganem: as palavras têm muita importância em "A Outra História Americana". Expõem de forma clara o poder nefasto de uma má influência (principalmente, em família), e colocam em xeque muitos preconceitos, por mais explícitos ou velados que sejam.

Este é um filme que mostra o quanto as pessoas são iguais, independente da cor da pele ou de qualquer outra característica. Mostra que as aparências são meros revestimentos, muitas vezes, de proteção. Mostra, enfim, o quanto é estúpido todo tipo de intolerância ou discriminação.


Nada mais necessário e urgente do que isso, não?


NOTA: 9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Lista Especial Final de Ano

20 MELHORES DISCOS DE 2017


Este ano, em termos de música, foi um pouco melhor do que 2016, indiscutivelmente. Novos artistas mostraram trabalhos maravilhosos (Triinca, Royal Blood, Rincon Sapiência, Kiko Dinucci), ao mesmo tempo que alguns da velha guarda voltaram com tudo, em discos que parecem de início de carreira (Accept, Living Colour). 
Além disso, tevemos obras das mais variadas teméticas, desde a banda instrumental Macaco Bong fazendo uma reeleitura pra lá de insana do clássico "Nevermind", do Nirvana, até artistas como Rodrigo Campos, Juçara Marçal e Gui Amabis, que, com "Sambas do Absurdo", emularam à perfeição a obra do filósofo Albert Camus. 
O resultado desta excelente miscelânea sonora está aqui, numa lista com os 20 melhores discos lançados neste ano que passou, cada um com cheiro e gostos diferentes, mas, que, de forma alguma, são indigestos.
Bon appétit. 🍴

20º
"In Spades"
The Afghan Whigs


19º
"The Rise of Chaos…
Filme Mais ou Menos Recomendável

"Mulher Maravilha"
2017
Direção: Patty Jenkins


MAIS UM FILME DE SUPER-HERÓI GENÉRICO, "MULHER MARAVILHA" PECA, IRONICAMENTE, POR TER UM SUB-TEXTO MACHISTA EM SUAS ENTRELINHAS
Estamos diante de mais um filme de super-heróis, mais um do universo expandido da DC Comics no cinema, mais um com a enorme responsabilidade de entregar um material minimamente interessante, ao contrários dos pífios "Batman vs Superman" e "Esquadrão Suicida", sem dúvida, os dois piores filmes do gênero desses últimos anos, ao lado de "Quarteto Fantástico". Ou seja, "Mulher Maravilha" chega com uma tremenda carga a ser superada. A pergunta é: conseguiu cumprir a sua missão? Bem, digamos que sim e não. Ao mesmo tempo em que o filme acerta em alguns pontos que ficaram devendo em produções anteriores, ele também erra ao repetir alguns dos erros mais corriqueiros de longas do gênero, com um agravante que pode até causar certa polê…