Pular para o conteúdo principal
Especial


Clipes com Temática Social

Parece fácil fazer críticas sociais, principalmente, na música, mas poucos são os que conseguem unir boas ideias e um som que seja realmente relevante. Juntar o útil ao agradável, enfim. Este lista reúne alguns dos clipes mais fortes nesse sentido, e, por tabela, alguns dos mais emblemáticos da carreira de cada um desses artistas.


10º 
"Até Quando?" - Gabriel, o Pensador

Gabriel sempre foi uma espécie de revoltado fake, com letras simplórias e um tanto fabricadas para fingir indignação. Mas, quando abraçou o rock de vez no disco "Seja Você Mesmo (Mas, Não Seja Sempre o Mesmo)", de 2001, conseguiu equilibrar um bom discurso com uma sonoridade competente. O clipe de "Até Quando?" mostra a inércia do cidadão atual, sentado eternamente em sua poltrona, assistindo TV, e pouco se lixando para os problemas atuais.



9º 
"American Idiot" - Green Day

O punk sempre foi revoltado por natureza. Mas, nos anos 90, ele ficou "domesticado" com bandas como Offspring e o próprio Green Day. Mas, este, em 2004, lança "American Idiot", uma espécie de ópera rock ambiciosa, que, a despeito de músicas muito pomposas, trazia na faixa-título toda a agressividade e revolta que se espera de um grupo punk. O clipe, mostrando a bandeira dos EUA se "desmanchando", reforça isso.



8º 
"Rock the Casbah" - The Clash

É claro que, nos primórdios do punk, o estilo era representado por bandas de atitude, e o The Clash não era exceção. Fazendo um som mais abrangente para o que o estilo exigia, rapidamente, tornaram-se um grupo clássico por misturarem diversas tendências musicais, do reggae ao rap. Este clipe, que debocha dos jogos de poder das nações com o Oriente Médio (tudo por causa do Petróleo), é um dos mais conhecidos deles.



"When You Gonna Learn?" - Jamiroquai

O clipe já começa com a (forte) imagem de uma criança passando fome na África. Pode parecer um artifício clichê ou piegas, mas o vídeo vai se desenrolando em outras cenas amedrontadoras, entre elas, a matança indiscriminada de animais. Ou seja, o grupo sabia o que estava dizendo e estava chamando a atenção para a necessidade de um pouco mais de humanidade. Devido às imagens pesadas, o clipe foi censurado em alguns lugares, o que só prova que o seu incômodo foi válido.





"Causa e Efeito" - MV Bill

Na realidade, qualquer clipe de qualquer música de MV Bill poderia, facilmente, ser usado nesta lista. Com um discurso mais equilibrado e certeiro do que Racionais, o "mensageiro da verdade" consegue nesse vídeo fazer meio que um "compacto" de todas as suas (ótimas) ideias. O rap nacional, certamente, precisa de mais pessoas como MV Bill.






"Territory" - Sepultura

No início dos anos 90, o Sepultura já vinha com uma mudança em sua sonoridade (para o bem e para o mal). E, uma dessas mudanças se refletia no teor das letras, que passaram a abordar mais questões de cunho social. "Territory" se encontra no seminal disco "Chaos A.D.", e, todo gravado em Jerusalém, mostra bem o absurdo de uma "guerra santa", que, ainda hoje, está longe de acabar.



4º 
"Another Brick in the Wall" - Pink Floyd

"The Wall" foi o canto do cisne dessa super banda de rock progressivo. Composto inteiramente através das ideias do baixista e líder Roger Waters, as letras falavam de guerra, relacionamentos conturbados em família, entre outras coisas. O magnífico clipe de "Another Brick in the Wall", dirigido pelo cineasta Alan Parker, critica sem dó nem piedade um sistema de educação que produz "cidadãos em série", que não pensam.





"Guerrilla Radio" - Rage Against the Machine

Esta é outra banda em que praticamente TODOS os clipes mereciam estar aqui nessa lista. "Guerrilla Radio" ganha menção porque critica, de forma muito irônica, o sistema de produção em massa que todos nós consumimos, mas que, por trás, é produzido por pessoas em regime de escravidão (e até crianças). E, é, mais uma vez, o Rage Against the Machine fazendo refletir.





2º 
"Boom!" - System of a Down

Que o System sempre foi uma banda engajada, todo mundo sabe. Mas, foi se juntar a outro notório militante (o cineasta Michael Moore), para que o grupo fizesse um vídeo de pouco mais de três minutos que é um dos mais instigantes protestos pacifistas da música nos últimos anos. De quebra, ridiculariza Bush, Bin Laden, Saddan, entre outras facínoras. Muito bom!





"O Que Sobrou do Céu" - O Rappa

Ainda tendo Marcelo Yuka como principal letrista da banda, o Rappa gravou o seu maior clássico, "Lado B, Lado A", em 1999. Não obstante, conseguiram realizar dois fabulosos vídeos para duas das melhores músicas do álbum, "A Minha Alma" e "O Que Sobrou do Céu". Este mostra um sequestro como pano de fundo, onde o principal é expôr as mazelas e as desigualdades sociais de um Brasil ainda com uma violência brutal. E, o final é emocionante!




Espero que tenham gostado.

Fiquem à vontade para sugerirem mais clipes para essa lista, ou outros temas para listas futuras.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lista Especial Final de Ano

20 MELHORES DISCOS DE 2017


Este ano, em termos de música, foi um pouco melhor do que 2016, indiscutivelmente. Novos artistas mostraram trabalhos maravilhosos (Triinca, Royal Blood, Rincon Sapiência, Kiko Dinucci), ao mesmo tempo que alguns da velha guarda voltaram com tudo, em discos que parecem de início de carreira (Accept, Living Colour). 
Além disso, tevemos obras das mais variadas teméticas, desde a banda instrumental Macaco Bong fazendo uma reeleitura pra lá de insana do clássico "Nevermind", do Nirvana, até artistas como Rodrigo Campos, Juçara Marçal e Gui Amabis, que, com "Sambas do Absurdo", emularam à perfeição a obra do filósofo Albert Camus. 
O resultado desta excelente miscelânea sonora está aqui, numa lista com os 20 melhores discos lançados neste ano que passou, cada um com cheiro e gostos diferentes, mas, que, de forma alguma, são indigestos.
Bon appétit. 🍴

20º
"In Spades"
The Afghan Whigs


19º
"The Rise of Chaos…
Dica de Filme

"As Fitas de Poughkeepsie" (2007)
Direção: John Erick Dowdle.


A maldade humana já gerou filmes verdadeiramente perturbadores, mas, que, muitas vezes, são feitos de forma apelativa, sempre expondo mais violência, como numa forma de fetiche, do que propondo alguma forma de reflexão. Exemplos desse desserviço cinematográfico são muitos, e não vou citá-los aqui, porque só servem mesmo para alimentar mentes doentias. Porém, existem aqueles filmes que conseguem fugir dessa regra, e conseguem propor algo válido, ao mesmo tempo que assustam bastante. É o caso deste "As Fitas de Poughkeepsie".
Primeiramente, é bom que se diga que ele se trata de um falso documentário, usando a (hoje batida) técnica de found-footage, que consiste em apresentar filmagens de maneira amadora, aumentado o tom realístico da obra. O resultado, pelo visto, deu certo. Quando "As Fitas de Poughkeepsie" foi exibido pela primeira vez no conceituado Festival de Trapeze, em Nova Ior…
Dica de Disco

"Shade"
2017
Artista: Living Colour


BANDA CLÁSSICA DOS ANOS 80 CONTINUA NA ATIVA, E ACABA DE LANÇAR UM DISCAÇO DE ROCK QUE VALE A PENA SER OUVIDO ATÉ O ÚLTIMO SEGUNDO
O Living Colour foi um dos melhores grupos de rock surgidos nos anos 80, e que continuaram a ter relativo sucesso no início da década de 90. Entre idas e vindas, a banda já não lançava material inédito desde 2009, com o bom "The Chair in the Doorway". Eis que, em 2017, surge "Shade", 6º álbum de estúdio deles, e que comprova que o som do Living Colour não se tornou nem um pouco datado, visto que aqui vamos encontrar todos os elementos que tornaram a banda mundialmente conhecida, e que, ao mesmo tempo, ainda soa moderno e contagiante.



"Primos" de som do Red Hot Chilli Peppers e do Faith no More, o Living Colour, ao contrário destes, continua, ainda nos dias de hoje, com uma regularidade muito bacana em sua música, mesmo depois de mais de 30 anos de carreira. Isso se deve a…