Pular para o conteúdo principal
Dica de Filme

"Zazie no Metrô" (1960)
Direção: Louis Malle.


Como definir algo, aparentemente, indefinível? "Zazie no Metrô" não se parece com nada do que já tenha visto no cinema, e, ao mesmo tempo, é parecido com tudo. Entenderam? Vou explicar melhor: o filme do polêmico e, muitas vezes, visceral diretor Louis Malle, faz referências a muito do que já foi feito na sétima arte. Não se trata apenas de homenagem, é, antes de mais nada, uma incrível vitalidade em contar uma estória da forma mais inusitada possível, usando diversos artifícios.

É muito nonsense, é muito surreal, é muito envolvente. E, percebam que tudo gira em torno de uma menina de 12 anos e sua rápida estadia por Paris. Apenas isso. Sim, é também leve e divertido. Porém, em suas entrelinhas, há muitos de satírico, bastante de irônico ao falar da sociedade parisiense da época. Propositalmente, Zazie é mais esperta do que uma criança normal, e, por isso, ela tem uma língua ferina, falando sempre alguma inconveniente verdade.



Mas, o tom crítico não abafa o que o filme tem de melhor: o seu ritmo. Misturando câmera acelerada à lá Chaplin, recursos de desenhos animados, como efeitos sonoros e uma visão lúdica e mágica do mundo, o longa é extremamente rápido e versátil. As imagens mais parecem pinturas em movimento, e o principal de tudo em se tratando de uma comédia: é muito engraçado. Só os muito chatos, mesmo, não rirão com as situações absurdas que vão se desenrolando na tela.

Os personagens à margem de Zazie são igualmente fascinantes, desde o seu tio até um inspetor de polícia que vive a perseguí-la, para, no final, mostrar-se um completamente fascista. Insano, não? Uma das sequências perto do final demonstra muito bem isso, como se o diretor quisesse dizer que tudo precisa ser destruído para um novo e necessário começo. Mas, tudo sem pesar a mão, de forma bem descontraída e interessante.




Lembrando que "Zazie no Metrô" é uma adaptação do livro homônimo do escritor Raymond Queneau. Talvez o único porém do filme seja um certo cansaço com o passar do tempo. O ritmo é tão alucinante que o envolvimento do espectador acaba ficando disperso lá próximo do final. O que é até lógico, pois, dificilmente, uma narrativa de uma hora e meia conseguiria, com essa proposta, manter a atenção 100% do tempo. Mesmo assim, o cansaço é só passageiro, e, logo após, vem o encerramento.




Partindo de uma estética pouco usual, Louis Malle conseguiu realizar um trabalho que possui uma menina como protagonista, flerta com o universo infantil, mas, que não é indicado, necessariamente, para as crianças. É, antes, um recado aos mais velhos, que se esqueceram que a imaginação, o encanto e a poesia são as melhores armas contra um mundo doente e vazio. No fim, Zazie diz que cresceu, mas, com um sorriso maroto nos lábios. Não é preciso dizer mais nada.


Nota:9/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Dica Cultural

Festival MIMO 2016
Programação Olinda


MIMO significa Mostra Internacional de Música em Olinda. E, também resistência de arte da melhor qualidade. Nasceu em 2004, na cidade pernambucana que leva seu nome, e que hoje é patrimônio histórico da humanidade. O que não significa que o festival não ocorra em outros lugares, como vem acontecendo há alguns anos. Este ano, por exemplo, em sua 13ª edição, a MIMO já desembarcou em Portugal, e nas cidades brasileiras de Ouro Preto, Tiradentes, Paraty e, nos próximos dias, no Rio de Janeiro. E, claro, haverá espaço para sua cidade natal, Olinda, que irá abarcar inúmeras atrações de peso entre os dias 18 e 20 de novembro próximos.
A seguir, a programação completa da MIMO em Olinda.


CONCERTOS

18 Novembro / Sexta-Feira

Zeca Baleiro - Violoncelo e Piano
18h - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

João Fênix
19h - Igreja do Carmo

João Bosco & Hamilton d Holanda
19h30 - Mosteiro de São Bento / Palco Se Ligaê

Mário Laginha & Pedro Burmes…