Pular para o conteúdo principal
DICA DE DISCO

"JESUS NÃO TEM DENTES DO PAÍS DOS BANGUELAS" (1987)




Este disco aqui foi lançado depois da consagração dos Titãs como uma das principais bandas de rock da década de 80 com o álbum "Cabeça Dinossauro", e antes deles se tornaram uma banda mais garageira e menos pop nos pesadíssimos "Tudo ao Mesmo Tempo Agora" e "Titanomaquia". Contudo, "Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas" está a frente de todos em termos de qualidade, pois os Titãs conseguiram com ele um equilíbrio entre uma linguagem mais direta e o peso e a atitude que se tornaram suas marcas registradas.

Ele já começa com uma batida eletrônica em "Todo Mundo quer Amor" para emendar a bastante conhecida "Comida", uma canção que resume bem esse trabalho do grupo: com uma letra simples, mas cheia de significados, e com o nível de provocação necessário. A composição grita: "A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte / A gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte".




"O Inimigo", com seu andamento soturno é muito bem executada. Já "Corações e Mentes" e "Diversão" flertam com temáticas como a manipulação das pessoas por quem detém alguma forma de poder e a futilidade cotidiana. Eis que surge "Infelizmente", uma das melhores músicas do disco em termos de letra. O compositor dela, Sérgio Britto, estava afiado: "Não advinhas de quem és escravo / Nem o que pode causar tal estrago / Eu sei porque vives feliz e calmo / É porque achas que estás são e salvo".

A canção que dá título ao álbum é uma verdadeira viagem de Marcelo Frommer e Nando Reis, onde este repete inúmeras vezes a mesma frase, como se fosse um mantra a ser seguido. O intrumental está muito pesado nela. "Mentiras" é mais uma cuja letra merece respeito: "Querem me curar do que eu não sofro, / Querem me julgar pelo que eu fiz. / Querem me salvar, mas eu só ouço, / Querem me ensinar como se diz / Mentiras!"




As 4 músicas finais do disco são as melhores e, não coincidentemente, as mais eletrizantes dele. "Desordem" é um esporro crítico-social que tanto faz falta hoje em dia: "São sempre os mesmos governantes, / Os mesmos que lucraram antes. / Os sindicatos fazem greve / Porque ninguém é consultado, / Pois tudo tem que virar óleo / Pra por na máquina do estado". A canção "Lugar Nenhum" é daquelas que funcionam muito bem ao vivo, devido à sua energia. Com um riff de guitarra poderoso, ela não deixa nada a dever às bandas de rock mais pesadas do país. Tanto é que, anos depois, num show com o Paralamas do Sucesso, os Titãs a tocaram com Andreas Kisser, do Sepultura.

"Armas pra Lutar" é outra que mescla muito bem uma sonoridade vibrante e pesada com uma letra de alto teor crítico: "Não preciso ser alguém, / Eu consigo viver sem / Armas pra lutar. / Prosseguir desarmado, / Suportar desarmado, / Desarmado, sem armas pra lutar". Por fim, temos o ápice do álbum com "Nome aos Bois", que vai na mesma linha da faixa "Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas", só que melhor. A composição simplesmente tem só nomes de algumas pessoas "peculiares" de nossa história, como Garrastazu, Stalin, Franco, Adolf Hitler, Idi Amin e Fleury. Um fechamento mordaz e forte, sem dúvida.




Sabendo muito bem dosar a revolta com composições simples, e porque não dizer, populares, os Titãs conseguiram um feito que poucas bandas no Brasil alcançaram: fazer o ouvinte pensar, sem que o discurso soasse cabeçudo, chato ou clichê. E, como álbum de rock, "Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas" é irretocável do começo ao fim. Por ele, chegamos até a perdoar os (muitos) erros que a banda viria a cometer no futuro, quando descobriram que podiam vender milhões e tocar em novelas. Afinal, este disco aqui já vale por uma carreira inteira.


NOTA: 9,5/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lista

10 Melhores Discos Nacionais de 2017 (Até Agora)


Sim, meus caros, não está nada fácil. Achar os "10 melhores discos nacionais lançados em 2017 (ate agora)" demandou bastante tempo, mesmo porque, até no meio do cenário indie, anda rolando uma certa mesmice em termos de sons e atitudes, com bandas soando rigorosamente iguais umas as outras. Está faltando identidade e carisma até na nossa música alternativa, infelizmente. Mas, lamentações à parte, esta é uma pequena lista que se propõe a ser um guia atual para quem deseja saber o que anda acontecendo de bom por aí. 
Torcer, agora, para que os próximos meses sejam mais produtivos no sentido de termos mais lançamentos bons como estes.
🎵


10°
"Feeexta"
Camarones Orquestra Guitarrística


"Canções Para Depois do Ódio"
Marcelo Yuka


"Triinca" Triinca

"Galanga Livre" Rincon Sapiência

"Vênus" Tupimasala
Debate Sócio-Político
Porto Digital Ocupado!
O número de ocupações contra a PEC 55 (que propõe, entre outras coisas, uma profunda reforma no Ensino Médio) cresce a cada dia, e apesar de algumas dificuldades, a maioria mostra que está no caminho certo. No Recife, a mais recente instituição a ser ocupada foi a Escola em Referência de Ensino Médio (o EREM), pertencente ao Porto Digital, e localizada no bairro do Recife Antigo. Tudo começou durante a manhã de quinta (17), após as aulas serem suspensas para a realização de uma assembleia. A decisão pela ocupação do prédio foi feita como forma de antecipar o pior, já que muitos temiam que a direção da escola chamasse a polícia. 
De acordo com uma das integrantes do movimento, a organização do local está sendo feita aos poucos, para que, em breve, possam acontecer eventos, como palestras, exibição de produções audiovisuais, etc. "Ainda está tudo muito recente. Pretendemos, primeiro, limpar e reformar algumas coisas aqui dentro, para depo…
Filme Mais ou Menos Recomendável

"Mulher Maravilha"
2017
Direção: Patty Jenkins


MAIS UM FILME DE SUPER-HERÓI GENÉRICO, "MULHER MARAVILHA" PECA, IRONICAMENTE, POR TER UM SUB-TEXTO MACHISTA EM SUAS ENTRELINHAS
Estamos diante de mais um filme de super-heróis, mais um do universo expandido da DC Comics no cinema, mais um com a enorme responsabilidade de entregar um material minimamente interessante, ao contrários dos pífios "Batman vs Superman" e "Esquadrão Suicida", sem dúvida, os dois piores filmes do gênero desses últimos anos, ao lado de "Quarteto Fantástico". Ou seja, "Mulher Maravilha" chega com uma tremenda carga a ser superada. A pergunta é: conseguiu cumprir a sua missão? Bem, digamos que sim e não. Ao mesmo tempo em que o filme acerta em alguns pontos que ficaram devendo em produções anteriores, ele também erra ao repetir alguns dos erros mais corriqueiros de longas do gênero, com um agravante que pode até causar certa polê…