Pular para o conteúdo principal
Dica de Disco

"Dawn of a New Sun" (2015)
Artista: Tuatha De Danann.


Pra quem já teve a oportunidade de conhecer a banda mineira Tuatha De Danann através do estupendo "Trova Di Danú", de 2004, segundo registro do grupo, talvez não encontre tantas novidades neste "Dawn of a New Sun", o que é muito bom. E, pra quem não conhece nada deles, com certeza vai se impressionar com o material deste disco. Sim, pois os mineiros continuam com a mesma pegada folk metal que os consagraram, só que mais maduros e experientes, o que fica transparente em cada acorde de todas as músicas, do mínimo detalhe de um timbre diferenciado, até algo mais arrojado e ousado no som.

Dos primeiros segundos da primeira canção, a empolgante "We're Back", passando pela mudança brutal de ritmos em "Rhymes Against Humanity", tendo em "An Ultimato" uma beleza quase épica (lembrando, inclusive, alguns dos melhores momentos da Donzela de Ferro), indo até os confins da Terra Média com a bela "Dawn of a New Sun", fazendo a trilha sonora perfeita para poderosos campos de batalha na formidável "Immarama", até o encerramento carregado de carisma e energia em "The Craic", que chega a emular o Kiss das antigas (vejam só!).



Sim, há algumas repetições na fórmula, como em "The Brave And The Herd", "Sack of Stories" e "Outcry", todas muito "normais", e sem grandes novidades em se tratando do que a própria banda nos acostumou a ouvir ela fazer. Mesmo assim, o som "exótico" das canções acaba se sobressaindo, principalmente pelo fato dos instrumentistas serem excepcionais, imprimindo muito profissionalismo em sua arte. Mesmo essas mais, digamos, uniformes estão acima da média do que estamos escutando por aí no rock pesado em todas as suas vertentes, inclusive, no Brasil, onde temos até uma boa gama de bandas de metal, porém, a maioria muito iguais umas às outras. O Tuatha tem aquilo que chamamos de "diferencial", até mesmo dentro do.próprio folk metal.


Em linhas gerais, "Dawn of a New Sun" é isso: um disco competente, redondo, viciante. Contribui, e muito, para a equilibrada discografia da banda, e ainda aponta alguns novos caminhos que ela pode seguir daqui pra frente. E, pra quem está apenas se iniciando no mundo místico do Tuatha De Danann, é um ótimo começo. E, quem sabe, até, não seja o álbum que fará o público brasileiro ter mais familiaridade com um estilo tão segmentado quanto o folk metal? Qualidades e "desculpas" não faltam pra tornarem "Dawn of a New Sun" um trabalho a ser escutado várias e várias vezes.

Link para fazer o download do disco:
http://metaltorrent.ucoz.com/publ/folk_metal/tuatha_de_danann_dawn_of_a_new_sun_2015/16-1-0-1467


Nota: 8/10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dica de Filme

"As Fitas de Poughkeepsie" (2007)
Direção: John Erick Dowdle.


A maldade humana já gerou filmes verdadeiramente perturbadores, mas, que, muitas vezes, são feitos de forma apelativa, sempre expondo mais violência, como numa forma de fetiche, do que propondo alguma forma de reflexão. Exemplos desse desserviço cinematográfico são muitos, e não vou citá-los aqui, porque só servem mesmo para alimentar mentes doentias. Porém, existem aqueles filmes que conseguem fugir dessa regra, e conseguem propor algo válido, ao mesmo tempo que assustam bastante. É o caso deste "As Fitas de Poughkeepsie".
Primeiramente, é bom que se diga que ele se trata de um falso documentário, usando a (hoje batida) técnica de found-footage, que consiste em apresentar filmagens de maneira amadora, aumentado o tom realístico da obra. O resultado, pelo visto, deu certo. Quando "As Fitas de Poughkeepsie" foi exibido pela primeira vez no conceituado Festival de Trapeze, em Nova Ior…
Dica de Documentário

"O Ódio na Internet" (2014)
Direção: Rokhaya Diallo e Mélanie Gallard.


Infelizmente, nos últimos tempos, a Internet vem se transformado numa plataforma muito eficiente para disseminar o ódio e a intolerância. Uma das vítimas dessa recente "modalidade" na Rede foi a jornalista francesa Rokkaya Diallo. Muito ativa nas redes sociais, ela sempre expôs muito de sua opinião nelas, e isso sempre gerava discursos enraivecidos contra sua pessoa. A gota d'água foi quando recebeu, via Twitter, uma ameaça de estupro: "Alguém tem que estuprar a idiota da Rokhaya. Assim, o racismo acaba." Em ataques anteriores, Rokhaya ignorou as ofensas. Desta vez, no entanto, decidiu revidar, e foi daí que surgiu a ideia deste documentário.
Primeiro, procurou um advogado para saber que atitude tomar. Surpresa, viu que os trâmites para se denunciar um crime virtual é mais complicado do que se imagina, principalmente, devido à empresa que controla determinada pla…
DICA DE FILME

"Para Sempre Lilya" (2002)
Direção: Lukas Moodysson.


A sociedade e seus excluídos. Marginalizados. Abandonados. Mesmo quando teimam em sobreviver, são hostilizados. A bem da verdade, muito já não nem sequer uma "vida". Nesse panorama desolador, temos filmes brilhantes que retratam esses personagens de maneira bela e não-maniqueísta. "Para Sempre Lilya" é um deles.

O próprio ambiente em que se passa a estória já é desolador: uma antiga União Soviética, onde chove o tempo todo. As pessoas não se ajudam, não estão preocupadas com mais ninguém a não consigo. A mãe de Lilya se enquadra nessa categoria. Muda-se para os EUA com seu novo companheiro, deixando a filha a própria sorte.


De início, Lilya vai tentar morar com uma tia opressora, porém, obviamente, a convivência não dá certo. Vivendo praticamente na miséria, ela não vê outra alternativa a não ser se prostituir para conseguir o mínimo necessário. Seu único alento é a amizade de Volodya, um ga…