Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016
Debate Sócio-Político

Quando Pararmos de Sermos Seletivos, Teremos Avançado no Combate à Corrupção
Por Erick Silva
A indignação seletiva é tão perniciosa quanto a corrupção que se alastrou pelo país. Longe de defender partido A ou B, político X ou Y, o que temos que entender é que é bastante incômodo vermos uma população que se diz bem informada, esbravejando contra a corrupção, mas, com um discurso totalmente partidário, e que resvala, ora na hipocrisia, ora no mais puro ódio. PT, Lula e Dilma viraram os verdadeiros demônios a serem combatidos, em contrapartida aos que possuem até mais denúncias e acusações do que partidários do Partido dos Trabalhadores, mas, que, por algum motivo, não merecem a indignação de quem se diz contra a corrupção. Devido a esse "lapso de memória", seguem alguns dos principais políticos do Brasil de hoje, que, é provável, não sejam nem um pouco honestos, mas, que são, estranhamente, esquecidos e até agraciados por muita "gente de bem".

Aéci…
Dica de Disco

"Love is Not Only What You Know" (2016)
Artista: Wight


Saudades dos anos 60, mais especificamente, do Grand Funk Railroad, do Taste e do Sly and the Family Stone? Com vontade de ouvir um disco atual que tenha uma aura totalmente retrô, mas, com qualidade por parte dos envolvidos, e até uma certa identidade no som? Então, este "Love is Not Only What You Know" é ideal pra você. Não à toa, o nome da banda remete ao famoso festival na ilha de Wight, na Inglaterra, ocorrido no final dos anos 60, e que teve nomes como The Doors, The Who, Jimi Hendrix, Free, Miles Davis, etc. Pra completar, a capa do álbum remete ao psicodelismo daqueles mágicos tempos. Não tem como negar as influências do Wight, portanto.
Tendo gravado dois bons discos como um power trio, o grupo chega ao seu terceiro registro com o acréscimo dos percussionista Steffen Kirchpfening. O restante da formação conta com René Hofmann (guitarras, teclados e vocais), Peter-Philipp Schierhorn (baixo) …
Matéria

"Nevermind": Há 25 Anos, o Nirvana Entrava para a História
Por Erick Silva


A reinvenção é uma necessidade. No caso da indústria fonográfica, de tempos em tempos, algo de verdadeiramente novo, ou simplesmente de grande energia criativa, surge para tirar um pouco a letargia de artistas tão comuns, banais, triviais. Dito isto, voltemos no tempo, mas, precisamente, no início da década de 90 passada. O que tínhamos na música norte-americana, em geral? Michael Jackson e Witney Huston nas suas fases mais bregas. No rock, a coisa não era diferente. Com raríssimas exceções (como o Guns'n Roses), o que predominava era o chamado "metal farofa", que não perdia em nada em termos de breguice para os outros artistas citados. Tudo muito padronizado e chato, portanto.
Mas, numa cidadezinha de Washington, Seattle, uma "estranha" movimentação acontecia. Várias bandas, cada uma com um estilo próprio de fazer rock, mas, quase todas com um espírito bastante garageiro…
Dica de Filme

"Café Society" (2016)
Direção: Woody Allen


Para os autênticos cinéfilos, esperar, todo ano, um filme de Woody Allen é certeza de um cinema com qualidade, mesmo quando o baixinho novaiorquino não está, necessariamente, inspirado. Na verdade, o último grande filme dele já tem uns bons 5 anos ("Meia-Noite em Paris"), e, de lá pra cá, mesmo com trabalhos interessantes e acima da média,o diretor parece estar no piloto-automático. Continua inspirado, é verdade, mas, falta ir além, com aquele mesmo pingo de ousadia que o fez realizar a incrível releitura de Dostoiévski em "Match Point", por exemplo. Seu mais recente trabalho, "Café Society", sofre da síndrome "é bom, mas, poderia ter sido melhor".
A trama é puro Woody Allen, cheia de personagens neuróticos, traições amorosas, acontecimentos absurdos do cotidiano e piadas inteligentes. No meio disso tudo, conhecemos Bobby, que, aspirante a escritor, muda-se para Los Angeles a fim d…
Dica de Disco

"Sorceress" (2016)
Artista: Opeth

Impressionante. Aqui, nós temos uma banda que começou lá no longínquo ano de 1990, com um som que remetia ao mais puro death metal. Só que o tempo foi passando, o grupo foi incorporando um folk aqui, um jazz ali, um blues acolá, até que, nos últimos lançamentos, eles abraçaram, de vez, o metal progressivo, e como um Rush moderno, vem fazendo discos verdadeiramente interessantes, e que fogem da monocromia em que o metal, geralmente, está inserido. Diversificado até o osso, o som atual do Opeth é como voltar à década de 70, mas, sem soar datado.
A bela instrumental "Persephone", que abre este disco, não dá pistas do que vamos encontrar pela frente. Ainda bem, pois, logo somos surpreendidos com um baita blues rock pra levar os mais velhos às lágrimas. Trata-se da poderosa "Sorceress", que possui uma variação incrível no decorrer de sua duração, mostrando que esse tipo de diversidade só vez bem ao Opeth, e proporc…
Dica de Filme

"O Jogo das Decapitações" (2013)
Direção: Sérgio Bianchi


Raiva, muita raiva. É assim que o cineasta Sérgio Bianchi pode ser traduzido em praticamente todos os seus trabalhos. E, aqui, não poderia ser diferente, com um diferencial importante: a metralhadora de críticas do diretor aponta para todos os lados, claramente, dando um verdadeiro tapa na cara tanto na Direita, quanto na Esquerda. Por causa disso, fica até difícil indicar "O Jogo das Decapitações", pois, como ele propõe um debate além das obviedades, sem o minimalismo de apontar somente um partido ou ideologia como certo ou errado, ele desagrada a uma extensa maioria que polarizou o debate de ideias nos últimos anos. E, isso é ótimo, principalmente, se pensarmos em filmes brasileiros que limitaram (e, muito) o debate de ideias (caso de "Tropa de Elite" e, mais recentemente, "Aquarius").
Em "O Jogo das Decapitações", de início, vemos uma cena que parece tirada de uma …
Debate Sócio-Político

A Educação (como sempre) na Berlinda
Por Erick Silva


Uma boa educação é primordial para qualquer nação, desenvolvida ou em desenvolvimento. Disso, todos sabemos. Então, como, em pleno 2016, as deficiências no sistema educacional brasileiro continuam gritantes? Vários fatores contribuem para isso, e um deles está no cerne da mais recente proposta do Governo Federal para a reforma do Ensino Médio: a regulação ideológica no trabalho do professor (absurda) e o novo tratamento dados a determinadas matérias escolares, em detrimento de outras, o que provavelmente resultará num prejuízo para a formação dos alunos.
Pra quem duvida de algum desses pontos, basta olhar um rápido organograma que desenha, em linhas gerais, o novo modelo que poderá ser adotado para o Ensino Médio a partir de agora:

De cara, percebe-se o óbvio: as matérias de exatas foram privilegiadas em relação às de humanas e linguagens. A de Matemática Básica, por exemplo, só terá um tópico para o professor qu…
Dica de Filme

"Madame Satã" (2002)
Direção: Karim Aïnouz.


Os marginalizados. Esses, sempre ficam no imaginário popular, como uma espécie de entidade a pairar em nossa imaginação, às vezes, lembrando que podemos ir um pouco além. Madame Satã, negro, gay, pobre, malandro, nunca se curvou às exigências da sociedade. Como ele mesmo dizia, "tinha um bicho dentro dele, que não deixava que se endireitasse!" Viveu como quis, e pagou o preço. Ponto, e sem julgamentos. Sem julgamentos, também, é o que nos proporciona essa visceral cinebiografia, dirigida com vigor, e interpretada de forma monstruosa.
Pra começo de conversa, sem retoques. Tudo é seco e sujo, dos cenários aos diálogos. Nada é necessariamente bonito, mas, tudo é muito humano, muito próximo à nossa realidade. À realidade dos excluídos, dos demonizados, dos "inimigos" de sempre. O filme vai abordando de maneira contundente a trajetória nada convencional de João Francisco dos Santos (posteriormente, conhec…