Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014
DICA DE FILME

"O SUBSTITUTO - INDIFERENÇA" (2011)
Direção: Tony Kaye.


"E, nunca me senti tão profundo, e, ao mesmo tempo, tão alheio de mim e tão presente no mundo."
(Albert Camus)

Sentir o peso do mundo nos ombros faz parte da vida de Henry Barthes. Não é algo intencional, é bom frisar. Trata-se de uma condição que ele adquiriu desde criança, quando teve que passar por tragédias pessoais, como o suicídio da mãe. Henry existe enquanto se preocupa com quem está ao seu redor; pode ser tanto uma aluna com problemas de auto-estima ou uma prostituta de rua que não tem para onde ir.

Atualmente, Henry cuida de seu avô, que está bastante doente. Este, e tantos outros agravantes, fazem com que ele passe para o lado pessoal e profissional tudo o que sofreu. Por enxergar as coisas um pouco mais além, tenta fazer a diferença para aqueles que precisam de algum tipo de ajuda.



Além disso, ele chega como professor substituto em uma escola problemática, que, um dia, já foi modelo de e…
DICA DE FILME

"CINEMA, ASPIRINAS E URUBUS" (2005)
Direção: Marcelo Gomes.


Nos últimos anos, o cinema brasileiro vem nos presenteando com ótimas produções. Tudo bem que, de vez em quando, aparecem aquelas obras pedantes, com um baita esquema de marketing, mas que, no fundo, são belos engodos. Felizmente, são a exceção. Ultimamente, filmes como "Cinema, Aspirinas e Urubus" estão sendo a regra....

Tendo como estrutura uma espécie de roadie movie, ele nos mostra, de maneira bem honesta, a relação entre Ranulpho (sertanejo à procura de trabalho) e Johann (alemão que se encontra no sertão pernambucano para vender a mais recente novidade da medicina à época: aspirinas). Ambos, de algum modo, são ariscos e arredios, porém, mesmo sem demonstrarem tão explicitamente, sabemos que os dois nutrem uma amizade sincera entre si.



O fato do filme se passar no ano de 1942, auge da Segunda Guerra, é providencial para a trama, pois isso irá deixar Johann em conflito, principalmente quand…
DICA DE DISCO

"JARDIM ELÉTRICO" (1971)




Desde que surgiu, em meados da década de 60, Os Mutantes tiveram a benção dos Tropicalistas. Em especial, Gil e Caetano ficaram vidrados na banda, tanto é que o próprio Gil se apresentou com ela no Festival da MPB em 67, quando tocaram juntos "Domingo no Parque". Já, Caetano resumia o grupo assim: "Os Mutantes são demais!" E, eram mesmo...

Essa tietagem, no entanto, ia além. É de autoria de Caetano e Gil muitas músicas que fizeram parte do repertório d'Os Mutantes ao longo de sua carreira, como "Batmacumba", "Panis et Circenses" e "Baby". Como se vê, certos padrinhos valem o quanto pesam...




Passado o estardalhaço desse Festival de 67 e do sucesso do fabuloso primeiro disco, Os Mutantes lançaram outros dois excelentes álbuns até viajarem para a Europa em turnê. Lá, já pensavam em como conquistar o mercado internacional. Com essa visão, gravaram cinco músicas que deveriam sair num lança…
DICA DE FILME

"SHINE - BRILHANTE" (1996)
Direção: Scott Hicks.


É muito bom quando você se depara com um drama que foge do pieguismo e dos clichês tão comuns ao gênero. Esse tipo de produção já têm uma estória triste por natureza, mas a maioria força a barra para tentar arrancar lágrimas do espectador a todo custo. Naturalidade, que é bom, nada.

"Shine - Brilhante" vai na contramão. Você até se compadece pela situação de vida de David Helfgott, prodígio pianista australiano, que devido à opressão do pai e pressão de seus professores de música perde o equilíbrio mental. Diante disso, torcemos por ele, claro.

Porém, nossa empatia pelo personagem não se deve por acharmos que ele é uma vítima das circunstâncias, um pobre coitado jogado num mundo cruel, e sim porque se trata de uma pessoa realmente especial, um ser humano fascinante. Um bom homem, enfim. Gostamos dele pelas suas qualidades, e não pelos seus defeitos.



Acompanhamos sua infância, e, desde já, a enorme presen…
DICA DE DISCO

"NEVERMIND" (1991)




Alguns discos transcendem a época em que foram lançados, e ganham uma importância absurda dentro da indústria do entretenimento. Só para ficar nos exemplos mais clássicos poderíamos citar "Sgt. Peppers" (Beatles), "The Dark Side of the Moon" (Pink Floyd) e "Nevermind The Bollocks" (The Sex Pistols). Todos de enorme influência até hoje. "Nevermind", do Nirvana, está nesse seleto grupo.

Não que a banda tenha forçado a barra para alcançar o estrelato. Longe disso. No ano em que veio ao mundo, esse álbum teve de concorrer com artistas como Michael Jackson e Witney Huston, reconhecidos campeões de vendas. O susto foi justamente uma banda de garagem, com um trabalho despretensioso, às vezes, cru, desbancar dois medalhões desse porte. Nesse caso, mesmo que temporariamente, o simples superou o elaborado.




O melhor de tudo é que "Nevermind" fez por onde merecer o estardalhaço que causou. É oum trabalho q…
DICA DE FILME

"TRANSCENDENCE - A REVOLUÇÃO" (2014)
Direção: Wally Pfister.


O que anda acontecendo com o público e a crítica especializada em cinema, hein? Tudo bem que quase tudo o que faz sucesso não é, necessariamente, sinônimo de qualidade, e, não raro, as melhores coisas são aquelas que estão longe dos holofotes.

Mas, tem uma penca de ótimos filmes feitos em Hollywood nos últimos anos que estão sendo relegados ao esquecimento ou simplesmente estão sendo tachados de "lixo". Exemplos não faltam: "O Nevoeiro", "O Preço do Amanhã", "Uma Noite de Crime"... Todos muito bons dentro de suas propostas, e que ousaram mostrar um pouco além para se diferenciarem do resto.

No entanto, são os heróis da Marvel e as adaptações ruins de livros igualmente ruins os constantemente bajulados, muitas vezes, alçados ao panteão das grandes artes. Pois é; não dá pra entender...



Com isso, chegamos a "Transcendence", mais recente filme com o sempre ó…
DICA DE DISCO

"FOME DE TUDO" (2007)




É cada vez mais difícil encontrar alguma qualidade na música feita no Brasil. E, não me refiro a qualidade no sentido genérico da coisa, mas algo que tenha um arranjo marcante, uma letra inteligente ou uma sonoridade arrojada. Nem mesmo esses elementos isolados encontramos com frequência por aí.

Mas, o que dizer de um disco que reúne todas essas características? A Nação Zumbi é uma banda com uma carreira irretocável. Desde que começou, lá nos idos dos anos 90, com Chico Science, que ela vem fazendo uma  música relevante, mas, infelizmente, sem reconhecimento de grande parte do público.




Isso nunca pareceu incomodar os integrantes do grupo, apesar deles terem feito um álbum (este "Fome de Tudo") com um acentuado apelo pop. Mas, não um pop esquecível após a primeira ouvida, e sim um de fácil assimilação, porém, cheio de detalhes, sejam num som inusitado ali, seja numa letra cheia de referências acolá.

O disco começa com "Bossa N…
DICA DE FILME

"A OUTRA HISTÓRIA AMERICANA" (1998)
Direção: Tony Kaye.


Preconceito, discriminação, intolerância. Em maior ou menor grau, isso sempre esteve presente em nossa sociedade. O problema é que existe uma nova onda tentando legitimar essas atitudes, seja pela desculpa da "liberdade religiosa" ou "de expressão". Portanto, um filme com o poder de "A Outra História Americana" torna-se essencial.

Seu contexto de violência não está longe da realidade. Ao contrário. Vemos como alguns praticam agressões gratuitas baseadas em certas ideologias, e uma grande parcela é conivente com isso. Tão conivente quanto os parentes e amigos de Derek, quem não percebem (ou não querem perceber) o quanto sua ideologia irá destruí-lo.



Derek é o típico skinhead metido a machão, de pavio curto e que acha suas ideias as melhores do mundo. Para piorar, em seu universo gravitam alguns amigos que partilham de suas opiniões, pais omissos e um irmão mais novo que vai, grad…
DICA DE FILME

"O GRANDE DITADOR" (1940)




Pra que serve a comédia? Pra fazer rir? Sim, esse é uma das suas funções. Mas, para alguns, fazer rir não é o suficiente. Ao contrário, limita sua arte. Chaplin foi um dos que pensavam assim.

Muitos de seus filmes, como "Luzes da Cidade" e "Tempos Modernos", e até mesmo seus curtas, excediam a ideia da comédia em si, sempre dizendo mais do que o óbvio. Mas, com "O Grande Ditador", ele foi além.

Precisamos lembrar de um detalhe: essa produção data de 1940, auge da Segunda Guerra e da figura de Hitler como uma grande ameaça. Seria loucura fazer um filme satirizando tudo isso? Não para um gênio como Chaplin.




Mesmo com o receio do estúdio United Artists, "O Grande Ditador" foi lançado e cumpriu o seu papel. Fez rir e refletir em doses iguais. O mérito está no fato de que aqui não é uma mera sátira. Temos um enredo bem construído, personagens cativantes e atuações fantásticas. Ou seja, como cinema, o n…
DICA DE DISCO 

"SECOS E MOLHADOS" (1973)




Poucas são as obras que podem, tranquilamente, figurarem tanto no quesito da qualidade, quanto no da importância. Foram produtos relevantes à sua época, que trouxeram algo de novo, e mesmo assim, resistiram ao tempo, e vistos hoje em dia continuam sendo bem apreciados.

O primeiro disco do Secos e Molhados, banda que tornou Ney Matogrosso conhecido, é uma dessas obras. Historicamente, teve sua importância. Quando lançado, o campeão de vendas eram ninguém menos que Roberto Carlos. Já o álbum de estréia do grupo teve mais de 1 milhão de cópias comercializadas em apenas alguns meses (muito mais do que o "Rei do ieieiê" durante um ano inteiro!).

Ainda temos uma das melhores capas de disco lançados por um artista brasileiro. Com suas cabeça servidas nas bandejas, era como se estivessem dizendo que não tinham medo de arriscar novos caminhos musicais. E, arriscaram, diga-se de passagem.




O som, uma mistura até então pouco feita entre …
DICA DE FILME

"VICKY CRISTINA BARCELONA" (2008)




O mundo eutopeu fizeram bem a Woody Allen. Desde que chegor lá, e lançou "Mactch Point", em 2002, suas produções vem ficando mais leves e interessantes.

Tendo exorciado alguns problemas pessoais, inclusive de sua conturbada separação com Diane Keaton, suas recentes produções apostam num humor mais ingênuo, sem tanso ranço ou agressividade (principalmente, às mulheres).

"Vicky Cristina Barcelona" vai por esse caminho em explorar situações mais simples, porém, com um significado mais amplo diante da vida.




Nesse universo, conhecemos Vicky e Cristina, grandes amigas, mas com diferentes personalidades. Uma está prestes a se casar e vive uma rotina apenas correta. Já, a outra é inquieta e procurar aventuras a todo momento para fugir do cotidiano.

Em viagem à Espanha, conhecem Juan Antonio, um sedutor pintor, que lhes faz um convite direto: fazer uma viagem com ele, e ficarem juntos, até nos momentos mais íntimos. V…